SR020818b

Entidades e agricultores da ASA cruzam o Brasil na Caravana Semiárido Contra a Fome e por democracia

SR020818bEstá circulando por estradas e cidades do Brasil o movimento de organizações, redes e movimentos sociais do semiárido através da ‘Caravana Semiárido Contra a Fome’ que saiu da cidade pernambucana de Caetés, no último dia 27 de julho, e já se encontra no Acampamento Lula Livre, em Curitiba-PR, Sul brasileiro, onde nesta quinta-feira(02) fez parte de amplas movimentações juntamente com diversos outros movimentos pela libertação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, por entender haver ilegalidade na condenação daquele liderança. “A caravana é muito importante pra gente poder denunciar o desmonte que está acontecendo desse governo e desmonte que está acontecendo no nosso semiárido, a gente acredita que o governo do PT foi muito importante para questões de políticas de valorização do nosso semiárido, tanto na questão de políticas para a juventude e para as mulheres de convivência com o semiárido e isso mostrou que a região Nordeste tem forte potencial e que nesse desgoverno foi esquecida. E a Caravana traz a discussão de que a gente não quer esse retrocesso, que a gente quer permanecer com os avanços que a gente vinha tendo, então é uma caravana de resistência, de denúncia, contra a fome e contra todo esse desmonte que tivemos no governo de Temer”, explica a componente da ASA e MPA-Sergipe, Movimento dos Pequenos Agricultores sergipanos, Gardênia de Oliveira Silva em contato direto de Curitiba na tarde desta quinta-feira(03) com Stúdio Rural.

“A Caravana Semiárido Contra a Fome saiu dia 27 de Caetés-Pernambuco, passou pela segunda maior cidade da Bahia, depois foi pra Belo Horizonte, depois Guararema-São Paulo, e hoje, neste dia 02, estamos aqui em Curitiba-PR. Essa é uma caravana contra a fome que quer denunciar o risco que o Brasil corre de voltar ao marco vergonhoso da fome. Nos dois últimos anos o Brasil saiu de 5 milhões de pessoas passando fome em situação de extrema pobreza para quase 12 milhões de pessoas em extrema pobreza e passando fome com problemas de desnutrição, a caravana está fazendo esse debate, denunciando essa miséria social que pode se abater mais uma vez pelo Brasil que é voltar o mapa da fome e também anunciando pra toda a sociedade brasileira o nosso projeto de sociedade que nos interessa que é a convivência com o semiárido através das tecnologias sociais, através da captação e armazenamento de água de chuvas, através da agroecologia, através da assessoria e extensão rural no fortalecimento da agricultura familiar, a educação contextualizada e enfim é esse o programa da caravana e estamos aqui em Curitiba em solidariedade ao presidente Lula que está preso injustamente”, explica o componente da ASA Bahia e coordenador da ASA Brasil, Cícero Félix dos Santos, em entrevista exclusiva ao Stúdio Rural.

“A caravana pra nós do Nordeste e acredito que não só para o Nordeste, mas para o Brasil inteiro ela é de suma importância, pois nós estamos na caravana não só para defender a liberdade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, mas também para denunciar a volta da fome no Nordeste e também em outras áreas do Brasil”, explica a componente da ASA Alagoas e coordenadora do MPA-Alagoas, Movimento dos Pequenos Agricultores de Alagoas, Vera Lúcia Félix de Brito, também em contato direto com Stúdio Rural, ela que compõe uma caravana de mais de 100 lideranças e que terá entrevista amplamente trabalhada no Programa Domingo Rural e Programa Esperança no Campo do próximo final de semana.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Faça um comentário

Todos os campos obrigatórios são marcados como (requerida). Seu Endereço de e-mail não será publicado

Voltar para o topo