SR070618b

Recife sedia encontro extraordinário da Associação Um Milhão de Cisternas

SR070618bA cidade do Recife está sediando durante esta quinta-feira e sexta-feira, dias 07 e 08 de junho, a Assembleia Extraordinária da Associação Programa Um Milhão de Cisternas (AP1MC), evento que está contando com lideranças componentes da ASA Brasil, Articulação no Semiárido Brasileiro de todos os estados do semiárido.

Stúdio Rural entrevistou o coordenador da Aspa, Associação dos Apicultores do Sertão Paraibano junto a ASA Brasil, Francieudo Costa de Sousa, Eudo Costa, que fala detalhadamente sobre o objetivo do encontro. “Está acontecendo aqui a assembleia extraordinária do Associação Programa Um Milhão de Cisternas que está num processo de reformulação estatutária e diversas entidades que compõem essa grande articulação está hoje aqui homologando a eleição e possa da nova diretoria executiva da Associação Programa Um Milhão de Cisternas, então estão sendo trabalhados todos os trâmites democráticos, toda a votação, toda uma programação onde nós tivemos pela manhã uma mesa debatedora aonde trouxe a conjuntura, trouxe a caminhada da ASA com o trabalho que vem fazendo com a implantação do conceito e da política da convivência com o semiárido, então é um evento que traz toda essa histórica e reúne diversas lideranças dos vários estados que compõem o semiárido com várias representações diretores de ONGs e entidades que estão aqui num amplo debate sobre a importância da política pública”, explica falando sobre como ficou o quadro dos novos gestores que trabalharão os destinos daquela associação.

Ao dialogar com Stúdio Rural, aquela liderança explicou que um verdadeiro balanço das ações e tecnologias implementadas por todo o semiárido estão em discussão, além de cuidadosos diálogos de planejamento para o fortalecimento das ações e políticas públicas a serem implementadas estão sendo colocadas como desafios para dias, meses e anos seguintes na agricultura familiar de toda a região e afirma que as entidades já contabilizam um grande volume de tecnologias sociais implementadas em todo a região semiárida. “Esse acesso se dar diretamente com o governo federal, também com entidades internacionais, com outros organismos financeiros como a Fundação Banco do Brasil, BNDES com um volume significativo, mas que tem todo o zelo, todo o cuidado porque são políticas públicas por órgãos públicos e que, de certa forma, já mostrou sua idoneidade, já mostrou a competência com recursos que chegam na ponta e se a gente for enumerar quantas cisternas de placas têm espalhadas aqui neste semiárido, assim como também diversas implementações e tecnologias como a cisterna calçadão, de enxurradas, barreiros trincheiras, que são tecnologias que estão espalhadas por aí e já chegam a soma de mais de 230 mil tecnologias de produção de alimentos com base no sistema agroecológico que é um sistema totalmente que defende a vida e defende o alimento saudável entre o homem e a harmonia com a natureza”, complementa em entrevista que será trabalhada no Programa Domingo Rural e Programa Esperança no Campo deste final de semana.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Faça um comentário

Todos os campos obrigatórios são marcados como (requerida). Seu Endereço de e-mail não será publicado

Voltar para o topo