Agricultora afirma que experiências com plantas medicinais têm crescimento e vem fortalecando ações na Borborema

A agricultura familiar vem intensificando o plantio das plantas medicinais e fortalecendo a agricultura agroecológica da região do Pólo da Borborema.

A afirmativa é da agricultora familiar, Maria Izabel do Livramento Rocha Santos, residente na comunidade Pedra Grande de Solânea, que participou do Programa Domingo Rural do domingo(11 de dezembro) fazendo um balanço da importância do trabalho com plantas medicinais que vem sendo feito na agricultura de todo o Pólo da Borborema. “É muito gratificante essas reuniões, esse trabalho que vem sendo feito com nós agricultores e isso pra nós é uma honra, o agricultor cada dia que passa vem sendo mais valorizado. Eu mesma me sinto valorizada graças á Deus porque sempre a gente dizia que os jovens tinham até vergonha de dizer que eram filhos de agricultores quando iam para a escola fazer a matrícola tinham vergonha e hoje a gente sente é orgulho de ser agricultor, eu mesma sou uma delas que esse trabalho na agricultura familiar e esses intercâmbios com visitas de formação só tem é nos ajudado”.

Izabel explicou que a concepção de agricultura está bem atualizada no meio rural onde se observa o processo de diversificação como parte que dar garantia para a sustentabilidade citando como exemplo a inclusão das plantas medicinais. “AS plantas medicinais são agricultura porque a gente sabe que começando de nossos pais, de nossos avós já tinham as plantas medicinais e eu lembro que naquela época quando eu era jovem a gente não comprava nem remédio da farmácia e sim tinha as plantas medicinais e aí foi se acabando, o pessoal não valorizava mais e a gente vê que hoje em dia, graças á Deus, está voltando esses conhecimentos com as plantas medicinais”, explica a agricultora afirmando que são plantas com propriedades que soman-se ao conjunto das propriedades dos demais alimentos e que fortalecem a saúde das pessoas.

Durante ampla entrevista, Izabel falou sobre o trabalho com as plantas medicinais na comunidade e sobre o trabalho que ela vem fazendo na propriedade familiar que fica na comunidade Pedra Grande de Soilânea. ”O número de pessoas está crescendo sim, porque é uma valorização pra nós mulheres e a cada dia a gente vai passando as informações para as outras e vai crescendo porque começou lá na minha comunidade com poucas mulheres e hoje as mulheres já estão se envolvendo e também no sindicato de Solânea tem muitas mulheres envolvidas com esse trabalho que prá nós mulheres a gente passou a ser mais valorizada, a gente passou a ter o conhecimento e passar para nossos maridos que muitas vezes não queria aceitar e hoje, graças á Deus, o trabalho tem crescido”. 

Fonte : Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top