Agroalimentares do algodão agroecológico do Cariri terão áreas ampliadas na safra 2020

Lideranças e entidades de assessoria estão em ação para ampliar a produção do algodão agroecológico nos sistemas agroalimentares junto a agricultura familiar da região do Território Cariri Ocidental que vêm sendo trabalhados no Assentamento Zé Marcolino, município Prata, naquele território.

O tema foi evidenciado no Programa Esperança no Campo e Programa Domingo Rural do último final de semana a partir de entrevista com assessores e representações desse setor produtivo de diversos municípios da região e a partir de avaliações feitas num encontro acontecido naquele assentamento no último dia 03.

Entrevistado por Stúdio Rural, o assessor da ONG Patac, Roberto Pereira de Araújo Filho, falou sobre as possíveis ações a serem desenvolvidas junto aos coletivos de agricultores e agricultoras familiares que estão sendo assessoradas pela entidade dentro de um projeto emergencial do governo paraibano, através do Procase, em municípios da região. “Já estamos discutindo ampliação e pelo que foi discutido com Marenilson e Amália foi repassado para esses municípios que estão querendo se entrosar também e ver como fazer, eles planejam já de olho na próxima safra a partir de encontro e discutindo esses planejamentos”, explica Pereira Araújo acrescentando que a partir de então a assessoria Patac irá compartilhar conhecimentos na perspectiva de discutir possíveis ações produtivas do algodão nos municípios assistidos. “Na região em que o Patac tem mais atuação, que é a região do Coletivo, tem agricultores que têm repassado para colegas a vontade de voltar com a cultura do algodão, e pra gente do Patac, enquanto assessoria, vai servir também pra levar agricultores dessas regiões pra conhecer a experiência como intercâmbio para que o pessoal que já está produzindo possa passar a experiência deles para os agricultores que estão querendo voltar com a cultura do algodão”, explica aquele assessor ao dialogar com nosso público ouvinte da Rádio Queimadas FM e Rádio Serrana de Araruna.  

Francisco Ronaldo Bezerra Victor, Chiquinho Patativa, é liderança do segmento e vereador no município de Taperoá, participou do intercâmbio do dia 03 e do Esperança no Campo e Domingo Rural do último final de semana explicando o conjunto das ações já implementadas no município e da intenção de implementar o algodão na diversidade da agricultura familiar taperoaense com as dinâmicas dos sistemas agroalimentares. “Tivemos essa oportunidade através de nosso companheiro Marenilson da Embrapa, da Arribação através de Amália, do Patac, do pessoal do Assentamento Zé Marcolino lá em Prata e tivemos esse convite pra participarmos desse dia de campo a respeito da questão da volta da cultura do algodão, e nós aqui de Taperoá que já foi um dos maiores municípios na produção do algodão do Brasil ficamos curiosos com o que Marenilson já tinha nos falado sobre a revitalização”, explica Patativa dizendo que a gestão municipal já tem intenção de implementar a ação na agricultura local. “Fomos participar para que possamos trazer de volta essa ideia para o nosso município com essa revitalização pra ver a viabilidade da volta da cultura do algodão e foi muito bom, pudemos acompanhar como é a questão do projeto, depois da parte teórica fomos a campo pra ver os campos de algodão que já foram colhidos no ano passado e estão sendo colhidos agora lá no Assentamento Zé Marcolino, em Prata. Muito interessante e já tivemos conversando aqui com o prefeito municipal de Taperoá, Jurandir Gouveia, e ele já nos deu carta branca para o que precisar para incentivar a questão desse projeto para que venha para o município de Taperoá”, explica Chiquinho Patativa. Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Faça um comentário

Todos os campos obrigatórios são marcados como (requerida). Seu Endereço de e-mail não será publicado

Voltar para o topo