ASA Paraíba, Via Campesina e prefeitura campinense discutem parceria para festa da semente da paixão

Representações da ASA-PB, Articulação no Semiárido Paraibano, Via Campesina e Prefeitura Municipal de Campina Grande estiveram reunidas na manhã desta quarta-feira(17/03) na Secretaria de Planejamento, encontro que objetivou discutir parcerias para a realização do Encontro Estadual das Sementes da Paixão que acontecerá nesta quinta-feira no Convento Ipuarana de Lagoa Seca e na sexta-feira no Parque do Povo, Campina Grande.

O encontro contou com a participação do chefe de gabinete da prefeitura campinense, Hermano Nepomuceno; Glória Batista acompanhada de agrônomo Emanoel Dias, representantes da Asa Paraíba além de Diley Aparecida, componente do MST e Via Campesina, num espaço em que discutiram parceria que fortaleça a realização da Festa Estadual da Semente da Paixão além de discutir a capacidade produtiva da agricultura familiar agroecologia regional relacionado a capacidade de consumo do município de campina Grande através dos programas governamentais existentes e já em execução.

As representações reivindicaram parceria logística para infra-estrutura do evento a exemplo de iluminação no local do evento, banheiros, parte das refeições, segurança dentre outras. “Para que essa festa aconteça em Campina Grande, também é importante que a gente dialogue com o poder público local no sentido de negociar apoios a própria festa e da importância que a festa tem no sentido de garantir políticas públicas voltadas para a agricultura familiar, então esse diálogo com a prefeitura é uma forma também de sensibilizar a prefeitura a abrir os olhos no sentido de pensar uma agricultura familiar inovadora, uma agricultura familiar de convivência com a região, uma agricultura familiar que respeite as raízes locais, a cultura, os agroecossistemas então o diálogo com a prefeitura é também importante no sentido da prefeitura também fazer uma revisão no seu entendimento de agricultura e no sentido também de valorizar uma agricultura inovadora que é essa que nós estamos querendo dinamizar”, argumenta a representante da ASA Paraíba, Glória Batista ao dialogar com Stúdio Rural, assegurando que a prefeitura foi bem receptiva, fazendo com que o evento das sementes possa acontecer de forma fortalecida e faça o seu papel que é transferir os conhecimentos de como se faz a agricultura com respeito ao agricultor, ao consumidor e ao meio ambiente.

O chefe de gabinete da prefeitura de Campina Grande recepcionou e discutiu a pauta de reivindicações apresentadas pelos movimentos dos agricultores e agricultoras agroecológicos e disse que desde 2005 quando o prefeito Veneziano Vital do Rego assumiu aquele executivo que políticas de parcerias vêm sendo construídas com segmentos diversos da agricultura familiar organizada. “A Prefeitura municipal de Campina Grande tem se pautado desde 2005, desde a primeira gestão do prefeito Veneziano, por se esforçar e manter um diálogo com todos os movimentos sociais. Tem sido assim com os movimentos sociais, com os movimentos comunitários e logicamente dentro do possível com o movimento dos trabalhadores, dos produtores rurais, da agricultura familiar como é o caso das instituições que se representam pela Via Campesina e pela Articulação do Semiárido a ASA”.

Nepomuceno falou do papel da agricultura familiar e das ações desenvolvidas pela prefeitura na compra dos produtos para utilização na alimentação de diversos programas sociais na cidade. “Campina Grande tem uma área rural extremamente grande, são três distritos que campina Grande possui: Distrito de Galante, Distrito de São José da Mata e Distrito de Catolé de Boa Vista, são mais de 18 mil pessoas que habitam a zona rural de Campina Grande, essa zona rural de Campina Grande tem boas perspectivas de desenvolvimento principalmente numa agricultura alternativa mais especializada como é o caso da agricultura sem agrotóxicos, como é o caso da agricultura familiar que é a característica das pequenas propriedades que rodeiam Campina Grande e a prefeitura já vem na prática através de seu programa Fome Zero através do programa dos restaurantes populares em convênio com o Ministério do Desenvolvimento Social do Governo Lula, realizando todo um processo que termina por desenvolver essa estrutura”, argumenta aquela representação, explicando que no ano de 2009 a prefeitura comprou, através do Programa de Aquisição Direta, 207 toneladas de alimentos contabilizando cerca de R$ 700 mil reais e lembrou que a previsão é ampliar a relação de compra neste ano 2010.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top