ASA promove seminário de avaliação Programa de Aquisição de Alimentos no Semiárido

A Articulação no Semi-Árido Brasileiro (ASA) promoverá durante os dias 13 e 14 deste mês, em Natal-RN, o Seminário de Avaliação do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) no Semiárido.

A informação é da coordenadora de comunicação da ASA, Articulação no Semi-Árido Brasileiro, Viviane Brochardt, justificando que os objetivos do seminário são: refletir sobre o Programa, seus avanços no Semiárido brasileiro; oportunizar um espaço de intercâmbio e troca de experiências entre diferentes iniciativas que buscam viabilizar a produção, o beneficiamento e a comercialização de alimentos da agricultura familiar na região do Semiárido; analisar as formas como essas iniciativas estão interagindo com o (PAA), bem como as razões pelas quais algumas organizações não acessam o Programa; servir como um espaço de formação de propostas que fortaleçam o PAA e que ampliem a oferta de políticas voltadas para a agricultura familiar no Semiárido.

Viviane lembrou que os palestrantes do evento são: o diretor de Política Agrícola e Informações da Conab, Sílvio Porto; a representante do Ministério do Desenvolvimento Agrário no Estado do Rio Grande do Norte, Maria do Socorro Oliveira; o coordenador-geral do PAA no Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Marcelo Resende e o conselheiro nacional de Segurança Alimentar e Nutricional, Carlos Eduardo Leite. “Além das palestras, serão apresentadas quatro experiências de associações e cooperativas que operam o PAA nos estados de Minas Gerais, Alagoas, Bahia e Rio Grande do Norte”, relata aquela assessora ao nominar cada representante do PAA nos estados e evidenciar que além das palestras, serão apresentadas quatro experiências de associações e cooperativas que operam o PAA nos estados de Minas Gerais, Alagoas, Bahia e Rio Grande do Norte.

Aquela assessora explicou que o Programa de Aquisição de Alimentos é uma das ações do Fome Zero, cujo objetivo é garantir o acesso aos alimentos em quantidade, qualidade e regularidade necessárias às pessoas em situação de insegurança alimentar e nutricional, sob a perspectiva do direito humano à alimentação adequada dentre outras.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top