Associação de canavieiros paraibanos já mapeou mais 50 mil hectares cultivados no Estado

Pensando na importância que tem o georreferenciamento na hora de se tomar decisões que envolvem a compra de insumos, cálculo de previsões de safra e a demarcação de áreas de Reserva Legal, dentre outras, é que a Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan), realiza o trabalho de georreferenciamento de gratuita para seus associados desde 2005.

A informação é da assessoria daquela entidade, News Comunicação, justificando que até agora mais de 50 mil hectares de terras canavieiras foram mapeadas no Estado exemplificando o ano de 2011, em que a entidade conseguiu mapear 13.611 hectares, beneficiando 84 produtores de cana. “Todo produtor rural só se vê obrigado a fazer o georreferenciamento de seus imóveis rurais em casos de transferência (compra, venda ou doação), divisão, desmembramento ou em qualquer outra situação legal que ele precise certificar o tamanho de sua propriedade”, explica aquela assessoria ao dialogar com Stúdio Rural.

News argumentou que o processo de georreferenciamento realizado pela Asplan está disponível aos produtores associados durante todo o ano e que em 2011, segundo dados do relatório do Departamento Técnico (Detec) da Asplan, os primeiros meses concentraram grande parte do número de mapeamentos, tendo sido o mês de março o mais produtivo do ano, com 3.307 ha mapeados e 10 produtores beneficiados com o serviço. “De acordo com o Tecnólogo em Geoprocessamento da Asplan, Thybério Luna, a entidade realiza o mapeamento de todas as propriedades rurais dos associados, que muitas vezes não tem apenas cana, mas também cria gado, cultiva macaxeira, abacaxi, e precisa de um estudo mais completo de sua terra”, complementa News.

Aquela assessoria informou que para o presidente da entidade, Murilo Paraíso, o mapeamento de toda a área de cultivo de cana-de-açúcar na Paraíba é importante não só para que o produtor conheça melhor sua terra, mas também para que o Estado possa cada vez mais se organizar em torno de políticas públicas de incentivo à cultura canavieira, pois, desta forma, o governo tem mais consciência da potencialidade da cultura no Nordeste e pode trabalhar melhor também pelo seu fortalecimento.

News informou que o produtor interessado deve procurar a sede da Asplan ou ligar para o número (83) 3241-6424 e que a prestação do serviço é feita seguindo uma ordem de data de solicitação. ‘Entretanto, dependendo do grau de necessidade do produtor, que em função de espólios, vistorias do INCRA, registros em cartório ou licenciamentos, a Asplan também pode antecipar o atendimento”, relata.

Fonte : Stúdio Rural / Programa Universo Rural

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top