Componente de Comissão organizadora fala sobre conferências de desenvolvimento rural sustentável na Paraíba

Objetivando falar sobre todo o trabalho que vem sendo desenvolvido para a construção das conferências municipais, territoriais, estadual e nacional de Desenvolvimento Rural Sustentável é que o componente da COE, Comissão Organizadora Estadual para a construção das agendas de encontros e reuniões que estão acontecendo em todo o estado da Paraíba, Antônio Ferreira Filho(foto), participou do Programa Universo Rural e Domingo Rural para falar sobre em que altura estão os trabalhos desenvolvidos e quais as perspectivas de melhora na qualidade das políticas públicas para o desenvolvimento da agricultura nos municípios, no estado e em todo o Brasil já que o trabalho tem como meta construir o plano de desenvolvimento da agricultura em sua diversidade. “

Assessor estadual de dinâmicas territoriais, Ferreira informou que durante todo o mês de junho aconteceram diversos encontros e conferências municipais de desenvolvimento rural sustentável a partir de quatro eixos temáticos que segundo ele, se organizaram da seguinte forma: “o primeiro eixo temático trata da questão do desenvolvimento socioeconômico e ambiental do Brasil Rural, fortalecimento da agricultura familiar e agroecologia; o segundo eixo temático trata da reforma agrária e democratização do acesso a terra e aos recursos naturais; o terceiro eixo temático trata da abordagem territorial como estratégia de desenvolvimento rural e promoção da qualidade de vida e finalmente o quarto eixo temático trata da gestão e participação social”, explica Ferreira acrescentando que, além desses eixos temáticos, foram também trabalhados o processo de elaboração de um plano municipal de desenvolvimento rural sustentável, fornecimento de subsídio para a construção de um plano territorial, plano estadual e ao final desembocará na construção do Plano Nacional de Desenvolvimento Rural Sustentável e Solidário.

Ferreira explicou que mais três eixos transversais foram trabalhados e são de fundamental importância para o pleno desenvolvimento da agricultura nacional. “É o caso do eixo cinco com a autonomia das mulheres rurais; o eixo seis autonomia e emancipação da juventude rural e o eixo sete a promoção do etnodesenvolvimento, entendido como, por exemplo, minorias que historicamente não estão contempladas dentro das políticas públicas como por exemplo as questões do quilombolas, a questão dos indígenas, a questão dos ribeirinhos, a questão das gerações como por exemplo a questão dos idosos que estão no campo na zona rural, políticas públicas ou propostas de políticas públicas que possam direcionadas à juventude rural, às mulheres rurais e aos idosos também”.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top