Comunidades rurais de Queimadas são contempladas com equipamentos estruturantes

O município de Queimadas, Agreste paraibano, através do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, vem registrando importantes avanços com a instalação de tecnologias socais destinadas ao processo de fortalecimento das pequenas propriedades rurais.

Mais recentemente, as comunidades Pinhões, Cedro e Cajazeiras foram contempladas com diversas implementações em recursos hídricos a exemplo de 12 barreiros trincheiras com capacidade para 500 mil litros de água, cada, que foram construídos, beneficiando igual quantidade de famílias, além da construção de mais 10 cisternas de placas e 02 barragens subterrâneas.

No último dia 06 de abril a direção daquele sindicato fez visitação ás implementações que já estão prontas esperando tão somente a chegando das chuvas onde no local os componentes sindicais dialogaram com as famílias sobre a importância de cada implementação e sobre a importância de se continuar o trabalho de capacitações e intercâmbio que objetivem o melhor processo de convivência com a realidade semiárida.

Stúdio Rural compareceu ao local, conversou com o agricultor familiar Lourival Nunes Medeiros, beneficiário do projeto que, ao dialogar com os ouvintes do Programa Domingo Rural falou sobre a importância da vida organizada via associação de agricultores, sindicato e dentro do processo de organização via Polo Sindical da Borborema que tem proporcionado muitas melhorias na qualidade das famílias citando como exemplo as comunidades Pinhões, Cedro e Cajazeiras que, nos últimos anos vêm registrando importantes avanços com o processo da estruturação das unidades rurais. “Juntamente com o pessoal do sindicato vimos as obras como é que está, vamos dar continuidade neste ano de 2014 e trazer mais recursos para o pessoal daqui e de outras comunidades aqui de Queimadas”, explica acrescentando que com as novas implementações tudo ficará mais fácil para as famílias contempladas que terão melhor condição de produzir, especialmente, para a segurança alimentar das famílias. “Acabou todo o problema aqui da região, porque é muita água pra gente fazer nossas plantações como o capim”, explica dizendo que antes, quando as chuvas aconteciam logo as famílias já se percebiam sem água.

Visitando as famílias, nas três comunidades, a presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Queimadas, Maria Anunciada Flor Barbosa Morais, ao dialogar com Stúdio Rural, falou da construção dos projetos junto ao Governo Federal via assessoramento das entidades do Polo Sindical da Borborema e garante que as comunidades visitadas estão mudando seu panorama de forma sustentável, se apropriando de novas tecnologias e ganhando importante espaço no processo de convivência com o semiárido. “Nós já conseguimos atender a maioria das famílias dessas comunidades com implementações do Programa Uma Terra e Duas Águas como barreiros trincheiras e barreginhas e estamos visitamos essas famílias com demonstram estarem muito gratas com o trabalho que o sindicato tem realizado no município e estamos no momento esperando chuvas para que essas implementações possam encher de água e que as famílias não tenham mais os problemas no período de estiagem porque elas estão prevenidas, elas estão organizadas a partir dos programas da ASA que vêm fazendo a diferença para as famílias do semiárido”, explica Flor Barbosa ao dialogar com o público ouvinte da Rádio Serrana de Araruna, Rádio Queimadas FM e Rádio Bonsucesso de Pombal.

Aquela diretora sindical explicou que essas ações já estão espalhadas por diversos sítios e comunidades de todo município de Queimadas. “Essas inovações estão discutidas a partir do conjunto de entidades que formam a Articulação do Semiárido, sabemos que nós que vivemos numa região semiárida precisamos buscar vários meios, várias alternativas e essas alternativas devem ser tecnologias que sejam apropriadas realmente para a região semiárida, e o barreiro trincheira é uma das maiores implementações, barreiro que tem capacidade de armazenar 500 mil litros de água e tem sido uma das ações que as famílias têm buscado aqui junto ao sindicato, pena que o Programa Uma Terra e Duas Águas é um programa novo ainda, nós trabalhamos com o Programa Um Milhão de Cisternas aqui no município de Queimadas desde de 2002, mas a segunda água para a produção nós vimos trabalhando desde 2010, então estamos agora completando quatro anos, então temos muitos desafios ainda porque temos muitas famílias para serem atendidas por esse programa”, explica.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top