Cooperativa de leite e escolas de Caturité e Boqueirão realizam Encontro do Projeto Cooperjovem

Escola do município de Caturité e Boqueirão que estão trabalhando o Programa Cooperjovem realizaram o I Encontro Regional do Programa Cooperjovem ação promovida pela Cooperativa Agropecuária do Cariri(Coapecal) em parceria com o Sistema OCB-PB/SESCOOP e Secretarias de Educação de Caturité e Boqueirão.

O encontro aconteceu na última sexta-feira(11/11) na cidade de Boqueirão e contou com alunos e educadores das escolas integradas no projeto, representações do Sistema OCB-PB/SESCOOP, secretarias de educação das cidades envolvidas, pais de alunos dentre outras para conhecer o trabalho desenvolvido no decorrer deste ano e ao mesmo tempo perspectivas para o próximo ano.

“Dentro do trabalho que a gente sempre gosta de fazer com as parcerias e com aquele sentimento verdadeiro de que o cooperativismo é uma das alternativas para se transformar nossa realidade e qualquer realidade, inclusive, esse é mais um trabalho com as parcerias com as prefeituras de Caturité e de Boqueirão através das escolas, para que a gente conscientize os nossos alunos para que as próximas gerações tenham essa consciência da força do cooperativismo, e essas parcerias fazerem com que a gente esteja chegando até esses alunos e eles adquirindo essa consciência”, explica o diretor presidente da Cooperativa Agropecuária do Cariri, Marcelino Trovão de Melo. Ele enfatizou que hoje todo o trabalho em cooperativismo está mais fácil de ser desenvolvido na região já que a prática e resultados cooperativistas da Coapecal vem mostrando as transformações positivas na qualidade de vida de centenas de famílias que fazem parte daquela cooperativa, tanto produtores pecuaristas, funcionários e o mercado que recebe produtos com agregado valor.

“Esse encontro regional realizado aqui em Boqueirão envolve sete escolas municipais de Boqueirão e Caturité com apoio fundamental da Coapecal e como fiz questão de demonstrar em meu discurso, os municípios que investem no cooperativismo têm um índice de desenvolvimento humano bem mais desenvolvido do que aqueles que não tem cooperativas e isso já pode se observar aqui nessa região, a gente vê que a Cooperativa Coapecal começou uma cooperativa pequena com 20 associados, hoje já tem uma dimensão que poderíamos dizer uma dimensão regional em todo norte nordeste e o Sistema OCB/SESCOOP fica muito gratificado com isso, nós começamos esse Projeto Cooperjovem através de nossa técnica Francisca, capacitando os professores que têm fundamental importância nesse processo todo”, comemora o diretor presidente do sistema OCB SSCOOP-PB, André Pacelli Bezerra Viana, ao dialogar com os ouvintes do Programa Domingo Rural na manhã deste domingo(13/11) via emissoras parceiras.

André garante que o processo de economia e vida cooperada vem numa din AR-SA mso-bidi-language: PT-BR; mso-ansi-language: EN-US; mso-fareast-language: Roman?; New ?Times mso-bidi-font-family: Calibri; mso-fareast-font-family: 11pt; FONT-SIZE: black; COLOR: ?Calibri?,?sans-serif?; FONT-FAMILY: 115%;>âmica de crescimento em todo o Brasil. “O Brasil hoje tem mais de 8 mil cooperativas, são mais de 30 milhões de pessoas envolvidas no cooperativismo no Brasil. Pra você ter uma idéia, as exportações do Brasil hoje que representa mais de 48% das exportações do Brasil estão sendo ligadas a cooperativas”, explica enfatizando que o crescimento se dá não só no desenvolvimento econômico, mas no desenvolvimento social e também na questão ambiental.

Maria Natalice Barbosa Santiago, é professora na Escola José Cabral de Souza, Curralinho, município de Caturité, disse que é uma idéia interessante e transformadora que está ajudando as escolas no processo de compreensão e construção da educação na relação educadores, pais e alunos. “É esse o objetivo do cooperativismo, é esse o objetivo de abraçarmos a causa porque a gente vê aí que a coisa está difícil, a família, a desestruturação que começa na família traz para as escolas e fica difícil pra gente comandar, e com esse princípio, com o cooperativismo a gente está vendo que estamos formando alunos que estão mais unidos, a gente vê que eles respeitam mais os colegas, respeitam mais a escola e a gente vê assim a união que é o objetivo maior que é o crescimento, é o engajamento da escola em si”, explica a educadora ao dialogar com Domingo Rural.

Bruno Ramos Vidal é estudante e presidente da primeira escola mirim da região, fundada recentemente na Escola Antônio Trovão, município de Caturité, e, ao participar do Domingo Rural, disse que a ação será um progresso pra Caturité e Boqueirão por cantarem com o trabalho na escola e ao mesmo tempo com o cooperativismo prático empresarial que já se tem em toda a região. “Nós temos a ajuda aqui do SESCOOP, da cooperativa, aí nós estamos fazendo a cooperativa(mirim) em Caturité que é pra reciclagem de materiais sólidos e orgânicos, também estamos com os canteiros de mudas de hortaliças de vários tipos e muitas outras coisas que nós estamos fazendo”, exemplifica o aluno lembrando que é filho de um cooperado e funcionário da Coapecal. “Eu sou filho de agricultor, meu pai é um dos que trabalham na Cariri(cooperativa) como queijeiro da Cariri, eu trabalho com a escola, sou um cooperador da escola, faço parte sendo presidente da Coopermirim em Caturité e isso vai ser um benefício muito grande pra Caturité que vai fazer com que ela cresça mais ainda e gerar emprego para as pessoas de Caturité”, comemorou aquele estudante.

“Nesse encontro do Cooperjovem um de seus objetivos foi socializar as práticas pedagógicas desenvolvidas durante o ano com todos os envolvidos, com as escolas do próprio município de Boqueirão e as escolas de Caturité, com troca de experiências, juntar todos os alunos e esse é um dos objetivos, socializar as práticas pedagógicas, receber um pouco de informação a mais do Programa e premiar os alunos, certificar os alunos que participaram no processo de redação a nível nacional promovido pelo SESCOOP e que aqui achamos por bem motivá-los, incentivá-los e certificá-los todos com certificados simples e singelos, mas que representa muito e uma medalha de participação como forma de motivá-los para que continuem lendo e escrevendo que é um dos grandes objetivos da educação básica: ler e escrever”, explica e comemora Miro dizendo que são práticas na vida de crianças e adolescentes que continuarão em seus dia a dias até em monografias de conclusão de cursos e construção de teses diversas. “A preparação para o futuro, para a cidadania começa com o jardim com as crianças em educação infantil que apresentaram a fábula da formiga(peça teatral) então o Programa começa trabalhar com as crianças com o intuito de ir formando e ir desenvolvendo o seu potencial da escrita e da leitura, da apresentação, do falar, do sentir, do vê, do ouvir para que sejam cidadãos participativos e, com certeza, cheguem lá em cima no auto que é o curso superior que qualifica para o mercado de trabalho”.

Miro explicou que as atividades 2011 estão se encerrando e que em 2012 a luta terá continuidade. “A escola tem uma vida própria, e cada escola no final do ano está concluindo seus trabalhos, não temos muito o que fazer mais este ano, os jogos das escolas, as gincanas, os concursos de redação, o trabalho pedagógico já caminhou, já teve sua fase neste ano e então agora é concluir os trabalhos das escolas e no início do próximo não, em fevereiro, começarmos com os planejamentos com os professores na reflexão da prática do ano de 2011 e planejar em cima dos pontos positivos e dos pontos negativos projetando um bom trabalho para o 2012 já que 2012 vai ser o ano internacional do cooperativismo, então 2012 desponta com muito trabalho, com muita atividade a serem feitas nas escolas”.

Fonte : Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top