Cooperativa paraibana desenvolve vacinação junto a mais de mil pecuaristas contra febre aftosa no estado

Falar sobre a importância da vacinação contra a febre aftosa, sobre as vantagens do mercado estadual e regional quando livre da doença, as conseqüência de uma economia quando atingida por um foco de aftosa e sobre o trabalho que a Coapecal, Cooperativa Agropecuária do Cariri vem fazendo no processo de vacinação que aquela cooperativa vem fazendo junto a mais de mil pecuaristas em diversas microrregiões do Estado da Paraíba é que o Programa Domingo Rural deste domingo(06/05) entrevistou o médico veterinário daquele cooperativa, Milano Sales de Melo(foto).

Aquele profissional informou ser necessário a vacinação de todo o rebanho em todas as propriedades rurais do estado para que se atinja o status de estado livre da doença com vacinação, causando impacto positivo na economia já que a relação comercial da Paraíba com outros estados da federação se dará a partir dessa agregação de valor que se faz com os 100% de vacinação em anos seqüenciados e falou sobre o contribuição que a Coapecal tem dado a partir do trabalho de vacinação juntos aos produtores associados. “O pessoal do governo tem os meios de comunicação, tem os panfletos, tem os escritórios estaduais que já trabalham fazendo o trabalho de acordo com o que eles podem executar, a gente na cooperativa tem um trabalho diferenciado porque a gente faz um levantamento do nosso rebanho dividindo por região, depois dividindo por municípios e dividindo por tanques de refrigeração, então a gente faz o levantamento daquela região, faz a aquisição da compra, disponibiliza para o produtor fazendo treinamentos com os produtores com disponibilização de pistolas de vacinação nos cantos que não tem pra poder fazer cumprir o Programa Nacional de Combate a Febre Aftosa fazendo com que nosso produtor não tenha que se deslocar porque muitas vezes não tem a vacina no seu município o que faz que ele tenha que se para municípios vizinhos pra ir comprar, depois tem que voltar pra sua residência em sua propriedade, vacinar, depois tem que ir para o escritório que não tem naquele município e se deslocar até 40 ou 50 quilômetros pra fazer a comprovação”, explica Milano dizendo que o trabalho feito pela cooperativa tem ofertado amplas vantagens para os associados e ao mesmo tempo contribuição para que o estado consiga ampliar sua meta de vacinação já que o trabalho feito pela empresa cooperada faz a ponte com trabalho completo entre o estado e o produtor pecuarista.

Durante a ampla entrevista, Milano lembrou que a campanha está sendo executada durante todo esse mês em sua primeira etapa da campanha 2012 e que a expectativa dos é que se atinja o máximo próximo ou igual aos 100% do rebanho no estado e evidenciou a importância desenvolvida pelos que fazemos o Programa Universo Rural e Domingo Rural na intensificação do trabalho de comunicação sobre a vacinação e sobre a doença antes, durante e depois das campanhas oficias para que sejam imunizados os cerca de 1,4 milhão de bovinos e bubalinos. “Enquanto programa especializado na comunicação rural queremos contribuir com a erradicação da aftosa nesta 1ª etapa da campanha de vacinação e já continuar rumo a segunda campanha que acontecerá em novembro”, comunicou o apresentado do Programa Antônio Tavares ao trabalhar o tema através das emissoras parceiras.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top