Domingo Rural e Universo Rural visitam e evidenciam plantio da batatinha orgânica em Lagoa Seca

Produção de batainha orgânica num sistema de produção integrada, esse é o resultado alcançado na agricultura familiar do município de Lagoa Seca que já contabiliza 14 unidades produtivas em pleno desenvolvimento naquele município com expectativa de produção e produtividade nesta safra 2012.

O tema da retomada do cultivo, a fase de plantio e desenvolvimento da batatinha orgânica e o trabalho que vem sendo feito nesta safra, em Lagoa Seca, foi tema evidenciado no Programa Universo Rural da Última sexta-feira(06/07) e Programa Domingo Rural deste domingo(08/07) quando participaram o agricultor Nelson Ferreira dos Santos, residente e produtor na comunidade Lagoa do Gravatá, e o assessor técnico da AS-PTA, agrônomo Emanoel Dias que falaram sobre o desenvolvimento da cultura que foi plantada na segunda quinzena de junho em todas as unidades produtivas do município e estão com satisfatório desenvolvimento já que as chuvas estão perdurando naquela microrregião brejeira.

Ao dialogar com nossa equipe, através dos programas de nossas emissoras parceiras, Nelson Ferreira falou sobre o trabalho desenvolvido pela família na unidade produtiva de 7 hectares que registra diversos roçados com culturas diversificadas, prática própria da agricultura familiar agroecológica em todo o Pólo Sindical da Borborema. “Nós já tínhamos aqui a experiência de produzir, a exemplo do próprio Robinho(Clique e leia), eu aqui, o Nelson Anacleto e outros agricultores já tinham a prática de produzir, até porque a gente já vinha testando o biofertilizante, a calda bordalesa porque tínhamos um sistema precário de requeima, hoje nem tanto, mas nós temos usado esses produtos, esses extratos e é bom se dizer também que o trabalho que está sendo feito nessa parceria Pólo Sindical, AS-PTA, Embrapa, hoje a Emater também acompanhando esse trabalho, mas o interessante de tudo isso é que a própria batatinha hoje nós estamos trabalhando de forma coletiva, ou seja, não é mais o trabalhador plantando de forma individual usando o veneno, usando o adubo químico não, hoje nós estamos trabalhando de forma organizada. A batatinha hoje está sendo trabalhada através de um banco de sementes, ou seja, nós estamos discutindo a questão da semente já que a renovação da semente nos dá forças para que a gente tenha mais condições de trabalhar e produzir de forma orgânica e por fim nós estamos trabalhando a questão do mercado porque é muito importante que o agricultor que produziu a batata tenha com boa produção tenha o escoamento dessa batata para o mercado e assim, como estamos trabalhando de forma agroecológica, também queremos um mercado agroecológico”.

Ao dialogar com nossos ouvintes, o agrônomo Emanoel Dias falou que o cultivo da safra esteve ameaçado neste ano em razão dos pré-núncios de falta de chuvas, mas com a retomada das chuvas nas últimas semanas na região do Brejo, os agricultores e agricultoras estão animados para continuar desenvolvendo a safra 2012 da cultura consorciada e agroecológica. “Então a experiência visitada aqui na propriedade de Nelson Ferreira é uma das experiências que o sindicato, junto com as organizações, está trabalhando aqui no município de Lagoa Seca, então a gente percebe que o trabalho com a batatinha ele tem uma infinidade de ganhos para a natureza, então você está trabalhando com produtos de forma ecológica sem agressão ao meio ambiente, na forma de consórcios, na diversificação que é extremamente importante para a produção de alimentos que é o que garante e que segura a agricultura familiar onde o excedente dessa produção vai para as feiras agroecológicas e chega também nas casa das famílias além de ser também ofertado nos programas de aquisição de alimentos, tanto do PAA quanto PNAE que são políticas hoje do Governo Federal”, explica.

Dias acrescentou que o trabalho é uma ação do Projeto Terra Forte em parceria com a União Européia além do governo do estado e seus órgãos da SEDAP. “A secretaria da agricultura na medida que reabre o frigorífico e deixa o frigorífico reaberto pra que os agricultores possam colocar a sua batatinha e disponível a uma negociação para que venha mais batata sementes para nossas famílias, então a gente acredita que esse processo é um processo de parceria e que ainda tem muito a enriquecer a agricultura familiar aqui no estado”.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top