Federação reúne entidades para discutir conflitos agrários na Paraíba

Com o argumento de que cerca de 14 mil hectares de área de produção de cana-de-açúcar na Paraíba está sob ameaça de invasões e desapropriações em função de diversos movimentos sociais como o Movimento Sem Terra, indígena e o quilombola e que a Federação da Agricultura e Pecuária da Paraíba (Faepa), se reunirá nesta quinta-feira (26), às 14h, em seu auditório, em João Pessoa.

Segundo a assessora de comunicação do sistema FAEPA/SENAR, News Comunicação, a meta é discutir a situação de insegurança dos produtores e apontar caminhos para a solução do problema onde o presidente da Comissão Nacional de Assuntos Fundiários e Indígenas da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Fábio Meireles Filho e o consultor técnico, Anaximandro Almeida também estarão presentes. “Integrantes da diretoria da Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan) também participarão do evento representando os produtores canavieiros da Paraíba”, explica News.

Aquela assessoria informou que durante a reunião, os membros da Comissão Nacional de Assuntos Fundiários e Indígenas da CNA apresentarão o atual panorama brasileiro a respeito do tema e abordará algumas saídas para o problema que vem trazendo prejuízos incalculáveis e comprometendo a produção de toneladas de cana que se perdem nos campos.

News informa que, de acordo com o presidente da Asplan, Murilo Paraíso, os produtores canavieiros paraibanos têm vivido momentos de grande aflição e lembrou o episódio das invasões das fazendas Sucupira, Piraqué e Miranda, todas localizadas no município de Rio Tinto, em setembro de 2011, justificando que a ação dos índios fizeram com que os donos ficassem impedidos de entrar em suas propriedades e de colher a produção de cana-de-açúcar dentre outras.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top