Governo diz que previsões indicam perdas na safra do semi-árido paraibano

Após reunião ocorrida na última quarta-feira(11), a SEDAP – Secretaria de Estado do Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca e a AESA – Agência Executiva de Águas do Estado da Paraíba, distribuíram Nota de Esclarecimento, informando que, de acordo com as análises meteorológicas, a previsão para os meses de abril e maio, nas regiões do Cariri, Curimataú, Seridó e Sertão, é de que as chuvas ocorram de normal a abaixo da média, com variabilidade temporal e espacial.

A informação foi repassada pela assessoria da SEDAP, através de Simorion Matos, informando que segundo a SEDAP e a AESA, em virtude dessa variabilidade, as chuvas não deverão ser suficientes para a manutenção satisfatória de atividades agrícolas, de culturas de subsistência e para o algodão, sobre regime de sequeiro.

No último dia 05 deste mês o secretário do desenvolvimento econômico do Estado da Paraíba, Francisco de Assis Quintans, já havia anunciado que não faria a distribuição de sementes para as famílias de pequenos agricultores, em todo o estado, por seguir informações da meteorologia de que a quantidade de chuvas seria abaixo da média, causando polêmica e indignação no meio das representações locais por entenderem ser de fundamental importância a discussão de uma política pública voltada ao desenvolvimento da agricultura familiar paraibana, citando como exemplo o trabalho que vem sendo desenvolvido pelos territórios do Cariri, Borborema, Sertão e Litoral, compostos por segmentos diversos da sociedade e que planejam as ações à serem desenvolvidas em cada microrregião.

“A nota assinada pelo Presidente da AESA, José Ernesto Souto Bezerra e pelo Secretário Francisco Quintans, diz ainda que, para as regiões do Cariri, Curimataú, Seridó e Sertão, o calendário agrícola encontra-se vencido, caracterizando-se risco agrícola”, justifica a assessoria da SEDAP, acrescentando que para as regiões do Agreste, Brejo e Litoral, onde climatologicamente não existem problemas de distribuição espacial e temporal das chuvas, segundo a nota, a previsão é de que as chuvas sejam de normais a acima da média. “Conclui a Nota que as chuvas previstas para os próximos meses, apesar de não garantirem safra agrícola no semi-árido, poderão ser suficientes para a manutenção satisfatória das reservas hídricas do Estado”, reforça.

Fonte : Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top