Jovens camponeses de Queimadas se reúnem pra discutir agricultura familiar pra juventude rural

O Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Queimadas realizou na última segunda-feira(12/08) o II Encontro da Juventude Rural de Queimadas com o tema ‘Juventude em compromisso para o futuro da agricultura familiar’ e que contou com jovens agricultores e agricultoras de diversas comunidades daquele município motivados em fazer com que a agricultura seja trabalhada com a participação da juventude que tenham na atividade formas sustentáveis de geração de trabalho e renda que os mantenham na atividade sem ter que recorrer para outros mercados de trabalho.

Adailma Ezequiel Pereira é jovem agricultora residente na comunidade Lutador, disse ter sido mais um encontro de estímulo ao jovem agricultor e agricultora do município para que busquem as alternativas produtivas capazes de gerar a renda necessária especialmente para que dêem continuidade aos seus estudos dentre outros. “Acho que trabalhamos propostas para fortalecer o que já estamos desenvolvendo em cada comunidade e mostrar para as outras comunidades para que seja exemplo a ser seguido”.

Cleber Freire Tavares da Silva reside no sítio Torrões e, ao dialogar com Stúdio Rural, disse que o objetivo é fazer um balanço do que já se vem fazendo e planejar novas perspectivas para o futuro próximo e disse que unir a fé com o dia a dia da vida camponesa já que a maioria dos componentes faz parte de comunidades religiosas na base comunitária. “A gente trabalha muito a fé relacionada ao trabalho porque primeiro Deus com vemos com nossas culturas de costumes no mundo social para que a gente possa trabalhar a melhor forma onde Jesus possa estar com todos”.

Jarcira de Oliveira Silva é jovem agricultora residente na comunidade Maracajá, participou do encontro e teve sua nova forma de produção dos biofertilizantes que foi iniciada recentemente como forma de fabricar o produto na unidade rural para uso na comunidade e ser utilizado em todo o município. “Nossa experiência já repercute, é uma iniciativa que eu abracei, estou disposta à passar para produtores, iniciativas para as escolas e onde me chamarem eu tenho o maior prazer de ensinar e incentivar o produtor rural, tanto jovens como crianças e enfim a gente faz o que pode”.

Emanueli Fernandes de Souza reside na comunidade Torrões e disse que foi um encontro em que se proporcionou espaço de importantes trocas de experiências de fundos rotativos de animais dando mais visibilidade e reconhecimento dos trabalhos desenvolvimento da juventude rural. “As coisas já estão acontecendo, a gente só não tinha, como te falei, era a visibilidade e conhecimento. Vendo por esse ângulo o jovem já faz muito desde muito cedo, já começa pela a ajuda aos nossos pais e nossos avós que já se ajudavam na agricultura e a gente como filho de agricultores não podemos ficar de fora”, explica.

Ana Paula Anacleto Virgulino é jovem assessora da AS-PTA e foi responsável como facilitadora no encontro, disse que ter sido um encontro muito produtivo enquanto espaço de envolvimento pelo fortalecimento da agricultura familiar e garante tratar-se de um trabalho que vem acontecendo nos diversos municípios do Pólo Sindical da Borborema enquanto busca de espaço para as novas perspectivas no campo e que esses encontro são feitos pelos jovens para os jovens rurais. “E aí a gente percebe que foram eles que propuseram, em que perceberam as atividades que eles estão desenvolvendo e a partir dessas atividades vamos vendo que é que a gente precisa potencializar e como que a gente motivar mais esses jovens e aí isso é muito bom porque foi construído com eles, e é assim que a gente faz o movimento de juventude, movimento que é pensado por esses jovens”.

Ana Paula Cândido é jovem diretora do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Queimadas e lida com as discussões de juventude rural em sua amplitude, participou do encontro e de nossos programas radiofônicos falando sobre a importância e dinâmicas do encontro e diz que trata-se de um balanço muito positivo que aponta alternativas para a juventude do meio rural queimadense em sintonia com as ações diversas trabalhadas em todos os municípios que fazem parte das dinâmicas das organizações do Pólo Sindical da Borborema. “Sempre falam que o jovem não faz nada, quando na realidade, quando a gente está num encontro como esse, encontro municipal onde se encontro jovens de diversas comunidades rurais é que a gente começa a perceber o que realmente eles estão fazendo, eles estão fazendo a agricultura acontecer, eles estão lá na prática, estão na escola, mas também na prática na agricultura, estão criando suas pequenas criações, estão ali no trabalho ao arredor de casa, nas hortas e isso pra gente é muito gratificante. Sem se falar na participação social que os jovens já estão almejando dentro da comunidade mesmo e em seguida já começam a participar das ações que o sindicato vem desenvolvendo e oferecendo pra eles também”, explica Paula Cândido ao dialogar com nossa equipe.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top