MDA prorroga prazo para pagamento do boleto do Garantia Safra 2012-2013

Os agricultores inscritos no Garantia Safra 2012-2013 tem até o dia 15 de fevereiro para fazer o pagamento do boleto bancário no valor de R$ 9,50, garantindo assim o recebimento do seguro no valor de R$ 760,00, dividido em 5 parcelas.

A informação é do coordenador do programa aqui no estado, Ranyfábio Cavalcante de Macedo(foto) ao dialogar com Stúdio Rural e trazer informações sobre as mudanças acontecidas e sensibilizar as famílias no sentido de que procurem as lotéricas e ou agências da Caixa Econômica federal e garantam esse recursos de renda mínima em caso de perdas na safra agrícola. “A gente tem um resultado muito bom de adesões no estado onde até o dia 31 de janeiro foram 97 mil agricultores que pagaram seu boleto e aderiram ao Garantia Safra das cem mil cotas que temos disponíveis, mas a gente achou que esses três mil agricultores que ainda ficaram sem pagar, a gente tinha que dar uma oportunidade pra que eles possam aderir ao programa diante da situação de estiagem que nós estamos vivendo. Então estamos aguardando esse pagamento até o dia 15 de fevereiro em pagamento através da Caixa Econômica Federal ou através de seus correspondentes bancários”, explica Macedo ao dialogar com Stúdio Rural.

O benefício do Garantia Safra é destinado aos agricultores familiares que comprovadamente tenha sua safra perdida devido à estiagem ou excesso de chuva, mediante a adesão das partes envolvidas onde, diante da nova publicação de novas resoluções no Diário Oficial da União, o agricultor passa a receber o novo valor do seguro de R$ 760. “Esse ano nós tivemos também um avanço significativo no número de municípios aderidos, já são 177 municípios aderidos no estado que estão participando do Garantia Safra ante a safra anterior que eram 171e temos um número de aderidos aí hoje de mais de 11 mil agricultores a mais em relação á safra 2011/2012”, explica Cavalcante lembrando que ao final no estado estarão envolvidos cerca de R$ 75 milhões de reais.

Ele lembrou que numa seca como essa que o Nordeste está vivendo, sem os programas sociais associados ao Programa Garantia Safra, saques, invasões e conflitos diversos estariam sendo registrados em feiras livras e mercados diversos das cidades nos estados da região. “Você imagine como era há 15 ou 20 anos atrás aquelas frentes de emergência, aquelas ações emergenciais, as prefeituras municipais nestes momentos de seca, todas cheias de gente com o povo lá pressionando, os saques que aconteciam no comércio, nas bodegas, nos mercados. Imagine a situação que nós vivíamos há 20 anos atrás e o que nós vivemos hoje, então esses programas sociais como Garantia Safra, o Bolsa Estiagem que vem agora de forma emergencial, um Bolsa Família que já existe em outra esfera da sociedade são programas que amenizou bastante essa situação, a gente sabe que ainda não estamos no ideal das políticas públicas, mas temos que reconhecer que avançamos bastante e que isso tem gerado uma rede de proteção social que tem ajudado essas famílias a pelo menos minimizar os efeitos que têm caudado uma seca como essa que nós estamos vivendo”.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top