OCB-PB apresenta dados 2018 e trabalha perspectivas para 2019

SR210119bO ano de 2018 é classificado pela diretoria da OCB-PB, Organização das Cooperativas Brasileiras, seccional Paraíba, como um ano de importantes avanços nas ações para o fortalecimento do cooperativismo paraibano.

Participando do Programa Domingo Rural e Programa Esperança no Campo o presidente da entidade, André Pacelli Bezerra Viana, fez um balanço das ações trabalhadas pelo Sistema OCB-Sescoop/PB e trabalhou perspectivas a serem trabalhadas no ano de 2019. “Fazemos um balanço muito positivo, especialmente nós do sistema OCB tivemos a inauguração do nosso escritório em Campina Grande, tivemos grandes eventos, o Painel Cooperativo em que todo sábado mostra para o público de todo o estado, inclusive está nas redes sociais com aquelas ações que nós executamos ao longo do ano e acreditamos que tivemos um balanço positivo e uma expectativa muito favorável pra 2019”, explica Pacelli detalhando diversos empreendimentos de cooperativas na capital, em Campina Grande, Patos dentre outras regiões paraibanas além de evidenciar a importância e expansão do cooperativismo de crédito por todo o estado.

Ao falar sobre a importância e as diferenças entre um banco tradicional e as práticas das cooperativas de créditos, Pacelli detalhou vantagens em favor do cooperado nos diversos ramos do cooperativismo. “A cooperativa de crédito oferece todos os produtos que um banco tradicional tem, empréstimos, poupanças, aplicações, seguros de carros, seguros de casas, previdência privada, ou seja, tudo que um banco oferece ele tem na cooperativa. Um grande diferencial é que no final do ano o agente ver um lucro que vai para os grandes empresários que geralmente leva para a matriz que esteja lá na Suíça, São Paulo; enquanto que na cooperativa de créditos a gente tem o que se chama de ‘as sobras’ e essas sobras são distribuídas com os associados, entre os cooperados que naturalmente vão investir em sua própria comunidade, então a gente tem esse grande diferencial no cooperativismo”, explica em parte de sua entrevista.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Faça um comentário

Todos os campos obrigatórios são marcados como (requerida). Seu Endereço de e-mail não será publicado

Voltar para o topo