Parceria cria linha de crédito para pequenos comerciantes das metrópoles

Os presidentes do Banco do Nordeste, Roberto Smith, e da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Jacinto Ferreira, assinaram no último dia 12, acordo de cooperação para a implementação do Programa Giro Varejista, que visa estabelecer condições para o financiamento de capital de giro para formação de estoques de comerciantes varejistas localizados na área de atuação do BNB, em especial nas periferias de grandes metrópoles.

Segundo a assessoria do BNB na Paraíba, Susana Rocha, serão disponibilizados recursos da ordem de R$ 50 milhões, oriundos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE) e Recursos Internos (RECIN) – mix de 50% de cada fonte. “Entre as vantagens, estão a obtenção de suporte técnico para estes empresários e financiamentos com os juros mais baixos do mercado e prazos diferenciados de pagamento”, justifica Susana, acrescentando que para o presidente Roberto Smith, a ação tem um caráter germinativo, porque parte da auto-organização da rede popular, criando melhores condições de comercialização, com maior qualidade, produtividade e atendimento ao público, gerando efeito benéfico para a economia popular, algo que o BNB, enquanto banco de desenvolvimento, almeja.

À Conab, informou Rocha, além da seleção dos varejistas beneficiários dos financiamentos, caberá também a prestação de assessoramento técnico aos varejistas, inclusive capacitação quanto à gestão do capital de giro, que será realizada em parceria com o Sebrae. “Segundo Jacinto Ferreira, a parceria BNB/Conab, já existente na agricultura familiar, agora se amplia para a periferia das grandes metrópoles”, lembra.

Em contato com Stúdio Rural, Rocha lembrou que os juros variam de 14 a 16% ao ano, permitirá o parcelamento das compras em até 12 meses, incluindo 2 meses de carência, além de bônus de adimplência de 25% para empreendimentos localizados no semi-árido e 15% para os demais e que o limite de financiamento é de R$ 180 mil para micro e pequena empresa, sendo que para negócios com clientes cujas responsabilidades totais, inclusive o crédito proposto, seja de até R$ 30 mil, poderá ser admitido apenas fiança ou aval dos principais sócios da empresa. “Os mercadinhos atendidos pelo Programa receberão o nome de Rede Mercadão Popular. Os produtos comercializados junto aos varejistas serão fornecidos, preferencialmente, por grupos produtivos atuantes em projetos de desenvolvimento territorial”, finaliza.

Fonte : Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top