Projeto da UEPB propõe trabalho de cidadania junto às famílias agricultoras de Queimadas

Desenvolver um projeto de extensão da UEPB, Universidade Estadual da Paraíba visando trazer questões de cidadania ao público agricultor do município de Queimadas via “Projeto cidadania para todos que visa trabalhar temáticas como Previdência Social, Cidadania e direito e Assistência Social é a meta almejada foi lançada como proposta por estudantes do curso de Serviço Social da Universidade Estadual da Paraíba na recente assembléia ordinária do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Queimadas, acontecida no dia 26 de julho e que contou com ampla participação de associados daquela casa sindical, gerência do INSS de Queimadas e componentes universitários que expuseram a dinâmica do projeto proposto para contribuir com o desenvolvimento da cidadania no campo queimadense.

style=mso-bidi-font-family: arial=>Larissa Martins de Almeida é estudante de Serviço Social da UEPB, componente do grupo de trabalho, participou do encontro e, ao dialogar com Stúdio Rural, disse que trata-se de um projeto em que a universidade sai da teoria para a prática da assistência social através da ação desenvolvida por cinco estudantes do curso com a finalidade de auxiliar as famílias agricultoras através de oficinas parceiras que esclareçam sobre temas de importância ao desenvolvimento das famílias camponesas. “A universidade sai enquanto instituição para estar trabalhando com os agricultores e, no caso, também estar aprendendo com eles porque a gente sabe que o conhecimento, mesmo que seja o conhecimento empírico, ele está passando também pra gente da universidade”, explica Martins ao dialogar com Stúdio Rural.

style=mso-bidi-font-family: arial=>José Renato Morais Mousinho é gerente da agência do INSS em Queimadas, participou do encontro como forma de fortalecer a apresentação da proposta do projeto universitário e disse que os estudantes componentes do projeto terão papel importante para fortalecer os trabalhos que já se faz e inovar com ações que somarão no processo de extensão de conhecimentos sobre o que é e qual a função da previdência dentre outras ações que poderão ser trabalhadas por essa nova equipe que se propõe iniciar trabalho parceiro no meio rural queimadense. “Essa unidade desses setores todos, do setor acadêmico da universidade, da previdência social, do sindicato é muito importante porque são todos setores que cada um em sua área de atuação, de certa forma, tem um olhar e ação voltados para a sociedade como um todo e, no caso específico aqui, temos ações voltadas para os trabalhadores rurais e há uma importância de que essas pessoas estejam bem informadas, principalmente aquelas pessoas que têm alguma ligação com a zona rural, que até residem na zona rural, mas que não exercem a atividade de agricultores, não vivem disso daí e é importante que elas estejam orientadas de que em qual categoria de segurado que elas podem se encaixar, que elas podem serem filiadas ao INSS para daí futuramente quando precisarem de um benefício, tenham seu benefício reconhecido, porque muitas vezes nós percebemos que algumas pessoas não têm seus benefícios concedidos junto ao INSS, muitas vezes por falta de informação mesmo”, explica dizendo ser de fundamental importância o desenvolvimento desse trabalho parceiro.

style=mso-bidi-font-family: arial=>Maria Anunciada Flor Barbosa Morais é presidente daquele sindicato e disse que a chegada da universidade vem somar aos trabalhos e esforços já empreendidos por aquela casa sindical como forma de trabalhar o melhor desenvolvimento da vida no meio rural. “Não é a primeira vez que Previdência Social tem participado das nossas assembléias, assim como nós já temos tido essa preocupação já ao longo de muitos anos em levar essas informações à base fazendo com que as famílias de agricultores e agricultoras possam estar se organizando a cada dia e se documentando para que no momento certo de requerer seus benefícios não sejam surpreendidos com os indeferimentos dos mesmos”, explica Flor Barbosa ao ilustrar o trabalho que já se faz e sobre as perspectivas com a chegada das novas parceiras para o trabalho a ser implementado ao longo deste segundo semestre do ano.

style=mso-bidi-font-family: arial=>Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top