Representações paraibanas assinam Termo de Adesão ao Programa Garantia Safra 2012/2013

Representações municipais a exemplo de prefeitos, secretários de agricultura, diretores de Sindicatos de Trabalhadores Rurais, Conselhos Municipais de Desenvolvimento Rural associados a componentes do Governo do Estado da Paraíba, Ministério do Desenvolvimento Agrário participaram de reunião de assinatura do Termo de Adesão ao Programa Garantia Safra 2012/2013, em evento que aconteceu em Campina Grande no último dia 25 de outubro.

Ao dialogar com os ouvintes do Programa Domingo Rural e Universo Rural o secretário do Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca (Sedap), Marenilson Batista da Silva, falou sobre o sentido do evento foi para mostrar que o Governo do Estado tem forte preocupação com a agricultura diante da situação de seca por que passa as microrregiões do estado onde o governo está fazendo todo o processo de mobilização para que todos os municípios façam a adesão ao programa na justificativa que, em caso de perda agrícola, o município possa ter uma renda mínima para cada família agricultora e ao mesmo tempo o governo aproveitou para anunciar a disponibilização de mais 10 mil cotas nesta safra 2012/2013. “O Garantia Safra é uma política que traz esse benefício, principalmente nesse período de estiagem com perdas de 50%, e traz também com ele toda uma discussão a questão da estiagem e aí não basta somente o Garantia Safra, nós temos que ter política de alimentação animal, política de recursos hídricos garantindo essa convivência com o semiárido”, explica Batista.

O delegado adjunto do Desenvolvimento Agrário na Paraíba, Antônio Alves, ao dialogar com os ouvintes das emissoras parceiras, explicou que os governos parceiros estão na fase de adesão do Programa na tentativa de envolver todos os municípios e as famílias agricultoras no entendimento de que o Garantia Safra é uma política é uma política de transferência de renda para as famílias agricultoras que venha contabilizar perdas na safra agrícola e garante que o Governo Federal desenvolveu um trabalho parceiro que dar dignidade às famílias agricultoras e ao povo do semiárido com uma política diferenciada que dar autonomia a família na hora de receber os recursos emergenciais. style=mso-spacerun: yes>  “Na verdade se você fizer uma diferença dessa política do Garantia Safra que foi criado no Governo Lula em 2003 com as frentes de emergências trabalhadas prá trás vê uma diferença muito grande, ou seja, nas frentes de emergências, primeiro a humilhação que aqueles que estavam em situação difícil passavam para estar cavando cacimbões ou açudes de latifundiários, naquela época recebiam uma cesta básica de feijão puro, arroz na casca que as famílias pilavam e nem a casca saia, muita gente que não tinha na a ver com a seca se aproveitava com essa política. No Governo Lula foi diferente, o agricultor que está dentro do Garantia Safra ele não recebe aquela cesta básica, ele recebe o dinheiro e aí ele ou a mulher vai a mercearia e compra a alimentação, paga a sua pequena dívida com esse Garantia Safra, então existe uma diferença muito grande”, explica aquele delegado.

Foi anunciado pelas representações governamentais que a adesão ao Programa entre o estado e os municípios tem o objetivo de firmar uma parceria para garantir um seguro de renda mínima no valor de R$ 760,00 às famílias de agricultores e agricultoras que vivem na região do semiárido e que, aqui na Paraíba, serão disponibilizadas 100 mil vagas para 183 municípios potencialmente aptos a aderir ao Programa Garantia Safra.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top