Reunião em Massaranduba discute estratégias produtivas em unidades agroecológicas do município

Agricultoras e agricultores experimentadores em agroecologia do município de Massaranduba participaram de um encontro pra discutir ações, projetos e estratégias de produção em unidades rurais daquele município, fazendo um balanço do conjunto de ações implementadas e, ao mesmo tempo, avaliando o nível de produção para a segurança alimentar das famílias além de iniciar um planejamento já de olho em mercados como a feira agroecológica, PAA e PNAE.

A reunião aconteceu no último dia 18 de setembro, na sede do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, contou com cerca de 50 agricultoras e agricultores interessados em fazer da agricultura um instrumento gerador de trabalho e renda para o processo de envolvimento produtivo da família e foi tema no Programa Universo Rural da quinta-feira e sexta-feira(19 e 20/09) e Programa Domingo Rural do domingo(22/09) quando foram entrevistados lideranças sindicais e agricultores experimentadores envolvidos no trabalho.

Maria do Socorro Muniz da Silva é agricultora naquele município, participou do encontro e, ao dialogar com Stúdio Rural, fez um balanço dos trabalhos que ela está realizando numa dinâmica agroecológica que oferece ampla produção para a segurança alimentar da família e que já está iniciando um trabalho organizativo para venda na feira agroecológica e no PAA e PNAE. “Tudo parte do sindicato, porque tudo que eu consegui foi daqui(do sindicato), porque saiu esse projeto e eu disse: eu quero, trabalhei como servente de pedreiro porque meu marido ficou no trabalho na roça e eu trabalhando de servente, então eu é que botei água, preparava massa, carregava pedra e graças á Deus estou hoje vendo o resultado”, diz a agricultora que contabiliza três cisternas para beber e para o complemento da produção de alimentos.

José de Arimatéia Lopes, Ari, é diretor daquele sindicato e, o dialogar com Stúdio Rural, disse da importância da reunião e do trabalho que vem sendo desenvolvido em todo o município de Massaranduba e garante que o sindicato vem fazendo reuniões mais constantes como forma de compartilhar os conhecimentos e tecnologias implementadas como forma de estimular novas famílias e ao mesmo tempo organizar as famílias experimentadoras para abastecerem os mercados locais e governamentais a exemplo da feira agroecológica, o PNAE e o PAA. “Hoje são muitas as propriedades que já dispõem de uma pequena barragem, de cisternas, isso não é tudo, mas já melhora a estrutura de produção. Então está faltando que o jovem assimile isso e entenda que é perfeitamente possível que, se dedicar, viver bem na própria agricultura a exemplo do que você viu hoje aqui nesse encontro com muita que tinha dificuldade de sobreviver, hoje está vivendo exclusivamente da agricultura e está vivendo bem em propriedades de até quatro hectares com famílias de até sete pessoas e vivendo bem”, explica Ari.

Stúdio Rural conversou com a presidente daquele sindicato, Maria Leônia Soares, Léia, avaliando o trabalho que vem sendo feito nas diversas comunidades rurais do município e ela informou que o sindicato se propõe em trazer as famílias agricultoras experimentadoras com o trabalho de produção sustentável para que possam trocar experiência a partir da implementação do conjunto de ações nas unidades como forma de que fique cada vez mais claro do potencial da agricultura familiar enquanto geradora de trabalho, renda e garantia da produção para a segurança alimentar das famílias e excedentes para abastecimentos de mercados locais além de ser encontro para o encontrão do pólo nos dias 24 e 25 de setembro em Lagoa Seca. “A gente vem refletindo sobre a capacidade dos agricultores e agricultoras nesse trabalho em que em muitos agricultores percebe-se uma mudança considerável na sua alimentação, tem mudado o seu meio ambiente e tem preservado a natureza já que tem se relacionado de uma forma respeitosa com a terra, e aí a gente vem com esses agricultores fortalecendo a agricultura familiar com base na agroecologia”, relata Léia ao dialogar com os ouvintes do Programa Domingo Rural e Programa Universo Rural.

José Domingos de Barros, Louro, é agricultor residente na comunidade Cachoeira de Pedra D’água, zona rural daquele município, participou do encontro e de nossos programas falando sobre o conjunto das experiências desenvolvidas por ele e por diversas famílias em Cachoeira e adjacências, na dinâmica agroecológica com ênfase no processo de recuperação dos solos que são tidos como básico para a manutenção das famílias no meio rural com capacidade de produção e geração da ocupação e da renda. “Uma como essa é muito proveitosa com tudo com os agricultores trouxeram pra gente, porque foi uma troca de experiência, uma troca de sabedorias em que estamos vendo que os agricultores estão mais entendo o que a agricultura deles, o valor que ele está passando a dar a agricultura deles, e percebo porque trabalho no sindicato junto aos agricultores e acho que eles só tiveram a ganhar num dia como hoje”.

Também participante no encontro, a agricultora Cícera Faustino da Silva, Moça, falou sobre o trabalho que está desenvolvendo na unidade produtiva dele e da família com um processo produtivo com ampla diversidade de cultivos que já são bem utilizados na alimentação da família e que já são vendidos na feira agroecológica da cidade de Massaranduba e no PNAE, Programa Nacional de Alimentação Escolar e que já são fontes de renda complementares no orçamento familiar. “O que eu trouxe para aqui foi as coisas boas de onde eu moro, porque noutros tempos eu não via essas coisas e agora estou desenvolvendo coisas boas e então tenho que trazer as experiências que aprendi lá, para que aqui eles possam aprender com eu”, explica dona moça de forma comemorativa.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top