Seminário sobre diversidade das sementes na agricultura familiar é tema no Domingo Rural

Depois do Programa Universo Rural do dia 31 de maio e dia 1º de maio que entrevistou representações diversas sobre o Seminário Pesquisa e Política de Sementes no Semiárido que aconteceu durante os dias 30 e 31 de maio em Lagoa Seca, o Domingo Rural do domingo(03/06) evidenciou o evento entrevistando representações envolvidas na preservação, pesquisas e multiplicação das variedades trabalhadas pelas famílias agricultoras e pesquisadas pela Embrapa.

Durante os programas foram entrevistados representações do movimento da agricultura familiar agroecológica, da Companhia Nacional de Abastecimento(Conab), Embrapa e agricultores experimentadores que falaram sobre os trabalhos com pesquisas participativas que vêm sendo desenvolvidas entre a Embrapa, agricultores e agricultoras, entidades da agricultura familiar agroecológica e universidades que desenvolvem trabalhos em campos produtivos próprios para pesquisa com as variedades de sementes crioulas e variedades da Embrapa.

Maria Lizineide Nascimento é agricultora componente da ASA Alagoas, participou do encontro parai0bano de sementes e dos programas nas emissoras parceiras falando sobre o trabalho com sementes desenvolvido no Estado de Alagoas e sobre o que a representação trouxe para ser apresentado no evento acontecido no Estado da Paraíba. “Em Alagoas a gente trabalha com grupos comunitários locais em cada comunidade e também a gente trabalha com bancos de sementes também, especialmente com famílias que se propõem a trabalhar a seleção de sementes”, explica a liderança afirmando que naquele estado as entidades vêem fazendo um trabalho importante com sementes numa parceria com o governo estadual buscando fortalecer os bancos de sementes em todo o estado.

Fernando Fleury Curado é pesquisador da Embrapa Tabuleiros Costeiros de Sergipe, coordena a pesquisa participativa em campos produtivos em assentamentos rurais e unidades produtivas das famílias agricultores no Pólo Sindical e no Coletivo Regional do Cariri, Seridó e Curimataú, participou do Programa Domingo Rural e falou sobre o trabalho parceiro de conhecimentos e sobre os resultados participativos. “Esse representa um momento de apresentação do resultado de pesquisas através dos ensaios e espaços de avaliação do comportamento de variedades produzidas pela Embrapa com variedades locais chamadas variedades crioulas ou variedades de sementes da paixão. Então a três anos atrás foi colocado esse desafio para a Embrapa de maneira geral, em específico para a Embrapa tabuleiros Costeiros que desenvolveu essa pesquisa que desse visibilidade àquilo que os agricultores já mostravam nas suas experiências aqui que é exatamente a importância desse material genético, dessas tecnologias que estão aqui há gerações sendo utilizadas. Então a pesquisa só veio organizar um processo com maior rigor científico num processo científico que pudesse verificar isso cientificamente e isso foi feito e a gente está desenvolvendo agora à população os resultados que apontam não pra uma, duas ou três variedades crioulas ou uma ou duas variedades da Embrapa como as mais importantes, mas para a importância da agrobiodiversidade sempre valorizada e promovida por esses agricultores e agricultoras nessa região” explica aquele pesquisa ao iniciar seu diálogo com os ouvintes da Rádio Serrana de Araruna, Rádio Cultura de São José do Egito e Rádio Bonsucesso de Pombal em conexão.

Raquel Nunes de Oliveira é jovem agricultora no município de Juazeirinho e componente do Coletivo Regional do Cariri, Seridó e Curimataú paraibano, participou do encontro apresentando resultados de trabalhos de pesquisas desenvolvidas em campos experimentais com pesquisa participativa implementadas naqueles territórios e, ao participar do Programa Domingo Rural falou sobre os resultados e o trabalho que vem sendo trabalhado naquelas regiões e garante que a partir de agora as famílias e as entidades passam a ter dados técnicos científicos que afirmam as qualidades de cada variedades com suas especificidades próprias a serem trabalhadas dentro da realidade e necessidade de cada família agricultora. “Nós estamos nesse seminário aqui discutindo qual a importância das sementes da paixão e trouxemos várias experiências do Coletivo relacionadas com as sementes, bancos de sementes comunitários, o trabalho com a multiplicação das sementes através dos campos de multiplicação de sementes e também os resultados de ensaios comparativos que tem como objetivo comprovar o potencial genético das nossas sementes que a muito tempo vem sendo cultivadas pelas famílias agricultoras e tem todo um conhecimento que vem sendo repassado de geração para geração”, explica a agricultora mobilizadora.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top