Sindicalistas e autoridades paraibanas lotam cidade de Patos para sepultamento de assessor da Fetag-PB

Sindicalistas rurais e autoridades de todo o Estado da Paraíba lotaram ruas centrais da cidade de Patos durante o féretro e sepultamento do assessor da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado da Paraíba, Jordivan da Costa Lucena que faleceu na manhã da última sexta-feira(04) vítima de um infarto fulminante, enquanto se exercitava numa academia em Patos (Sertão Paraibano), cidade onde residia. O corpo foi velado na residência da família, em Patos e o enterro aconteceu na manhã do sábado(05/11), no Cemitério local.

Ivanildo Pereira Dantas é também assessor da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado da Paraíba, e, em contato com nossa equipe, falou sobre a importância de Jordivan da Costa Lucena para a vida da organização sindical na Paraíba e garante que a ampla participação de lideranças e autoridades de todo o estado presente em Patos reflete o respeito que a liderança tinha no meio político e social paraibano “Nós tivemos aqui todos os sindicatos do Estado da Paraíba representados por seus presidentes, representados por nossos dirigentes, como tivemos pessoas comuns como os próprios agricultores e agricultoras que Jordivan trabalhava diretamente e tinha um contato direto com Jordivan e além do movimento sindical a presença maciça dos órgãos estaduais, municipais, federais e não vou citar aqui porque foram muitas e as vezes a gente pode até esquecer no momento de alguns, mas inclusive quero aqui, em nome da família de Caboclinho, do Liberalino Ferreira de Lucena, em nome da Fetag, em nome da família do movimento sindical da Paraíba agradecer a todas as pessoas que estiveram presentes, inclusive a sua pessoa tão dedicada que com esse jornalismo dinâmico rural á frente do Stúdio Rural e do Programa Domingo Rural está sempre presente nas nossas ações, nós queremos bastante agradecer a você e todo o pessoal que esteve aqui presente até este último momento aqui no cemitério”, explica Ivanildo ao dialogar com Stúdio Rural.

Luiz Silva é presidente do Central Única dos Trabalhadores, na Paraíba, participou do momento e falou com nossa equipe sobre a perde da liderança e sobre a importância da leitura de que são surpresas que a vida oferece, mas que a fé e a esperança farão com todos e todas retomem a luta, mesmo diante das lembranças e saudades que são deixadas pelo companheiro. “É uma grande perda, pois ele era um companheiro que estava sempre atento participando de todas as reuniões e todos os debates construindo e acima de tudo fortalecendo o movimento sindical e estava com muita energia, abastecido de uma nova concepção de movimento sindical com compromisso de mudanças, então é uma grande perda, nós da Central Única dos Trabalhadores lamentamos e acima de tudo esperamos que Deus mantenha essa semente de mais outros sindicalistas que possam avançar, fazer o trabalho e dar continuidade àquilo que ele fez”, comenta Luiz Silva.

Componente do Pólo Sindical da Borborema, Nelson Anacleto conversou com a equipe Stúdio Rural e disse ser uma grande perda para a família e para o movimento sindical já que tratava-se de um militante com ação constante na federação, órgão que tem o papel de coordenar e energizar os sindicatos e suas organizações. “Por isso é que acho que foi uma perda, é um jovem bastante novo ainda e vinha dando uma boa contribuição no processo de formação dentro da Fetag na relação com os sindicatos e a gente lamenta, acho grande perda para o movimento sindical, mas temos aí muitos outros que haverão de continuar esse trabalho e a força de Deus pra dar o conforto à família”.

Representando o sindicalismo rural da região do Cariri, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Barra de Santana, Paulo Medeiros Barreto, disse que companheiros e familiares sentem a perda porque a Fetag tem sido espaço de diálogo e convivência que transcende a política, de forma que o sindicalismo passa a ser um espaço que acolhe a família como um todo e a perda envolve as lideranças e, por extensão, a família sindical. “Estamos aqui com pesar a participar desse momento que a gente não queria participar, mas a perda ela é grande tanto para o movimento sindical como também pra família do nosso companheiro Caboclinho que a gente também sente porque todos nós do movimento sindical nos tratamos como uma família um do outro, então quando se perde um membro dessa família a gente sente todos iguais a mesma dor e a gente lamenta, mas estamos a compartilhar com ele esse momento que, como disse, não queríamos está participando desse momento tão triste na vida e tão lamentável pra vida de caboclinho e seus familiares”, comenta Paulço Medeiros sobre a o sentimento de perda enfrentada por Caboclinho, presidente da fetag e pai de Jordivam.

Fonte : Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top