Sindicatos camponeses da Paraíba engrossam fileiras da Marcha das Margaridas em Brasília

Lideranças do movimento da agricultura familiar e trabalhadores rurais da Paraíba estarão fazendo parte da Marcha das Margaridas, em Brasília, durante os dias 16 e 17 de agosto próximo quando cerca de 100 mil participantes estarão fazendo parte do maior movimento organizado de mulheres trabalhadoras rurais da América Latina.

Stúdio Rural conversou com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Barra de Santana, Cariri Oriental, Paulo Medeiros Barreto(foto) que, falando aos ouvintes do Programa Universo Rural desta quarta-feira(20/07), comentou ser uma ação política promovida pela Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag), tem na pauta sete eixos principais: biodiversidade e democratização de recursos naturais; terra, água e agroecologia; segurança alimentar e nutricional; autonomia econômica, trabalho e renda; saúde pública e direitos reprodutivos; educação não sexista, violência e sexualidade; democracia, poder e participação política e que uma pauta com 100 itens de reivindicações foi entregue por uma comissão de mulheres ao governo federal no último dia 13. “Barra de Santana vai estar lá com representatividade com duas pessoas que estará mandando porque as circunstâncias não dá pra mandar mais, mas vamos mandar duas pessoas para representar aquele município defendendo os interesses da mulher paraibana, barrasantanense e brasileira”, explica Medeiros dizendo que em recente reunião na Fetag, Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado da Paraíba ficou determinado que a entidade enviará dois ônibus de paraibanas e paraibanos que, associados a CUT dentre outros segmentos somará cerca de 500 pessoas.

Ao dialogar com os ouvintes da Bonsucesso AM 1180 kHz, ele explicou que, dentre os muitos pontos em evidência, a segurança da mulher estará em ampla evidência. “A gente tem muitos pontos a discutir, inclusive o principal ponto que a gente deve discutir é a questão da segurança, não apenas a segurança só da mulher, mas também a questão da segurança da família, mas quem fica mais vulneráveis são as mulheres porque o marido sai pra trabalhar e a mulher fica na expectativa e vulnerável a bandidagem”, explica Medeiros Barreto que fará parte da movimentação em Brasília.

Aquele sindicalista lembrou da importância do apoio dos parlamentares paraibanos e reivindicou a presença da bancada paraibana no evento. “A gente espera que a gente tenha o apoio que não tem tido nos últimos anos na nossa luta, você vê que os parlamentares paraibanos não freqüentam nas reivindicações do homem do campo, nós temos Grito da terra, nós temos Marcha das margaridas, Encontro de jovens, de mulheres enfim uma gama de encontros que nós fazemos em Brasília, manifestações e propostas que chamam a atenção do país inteiro e nós não nos deparamos com parlamentares nos apoiando e é vergonhoso porque nos outros estados os parlamentares vão defender os seus estados na luta e a Paraíba não. Desde 2004 em que participo da luta e nunca vi parlamentar paraibano no Grito da Terra ou na Marcha das Margaridas, espero que desta vez os nossos parlamentares escutem essa reivindicação do povo brasileiro e paraibano e os parlamentares se façam presentes pra dar uma força aos militantes que estarão lá defendendo os interesses da mulher brasileira”.

Fonte : Stúdio Rural / Programa Universo Rural

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top