Uso e perigo dos agrotóxicos será tema de sessão especial na Assembléia Legislativa paraibana

Nesta segunda-feira, 07 de novembro, às 14h, uma Sessão Pública Especial na Assembléia Legislativa vai debater o uso dos agrotóxicos no Estado da Paraíba em propositura de autoria do deputado estadual Frei Anastácio (PT-PB), atendendo a uma solicitação do Fórum das Organizações da Sociedade Civil em Defesa da Agricultura Familiar e da Reforma Agrária na Paraíba.

Stúdio Rural conversou com o representante do Pólo Sindical e das Organizações da Agricultura Familiar da Borborema, Nelson Anacleto(foto), que falou sobre o evento e disse que a discussão de uma agricultura saudável é uma defesa que tem se fortalecido em todo o Estado da Paraíba que tem no Território da Borborema uma referência de experiências e resultados que afirmam a lógica de um modelo de agricultura que leve em consideração a saúde do solo, de quem produz, dos consumidores e do meio ambiente. “Inclusive nesta segunda-feira, 13, nós teremos aí na Assembléia Legislativa da Paraíba uma sessão pública especial exatamente para tratar a questão da alimentação e os malefícios e as conseqüências danosas que os agrotóxicos, os venenos vêm trazendo para as famílias agricultores de um modo geral e é uma proposição do deputado Frei Anastácio atendendo uma solicitação do Fórum das organizações que é um fórum, um processo novo na Paraíba que está em construção onde está a Fetag, a ASA, está o Pólo, está Fetraf, está Sinter, está a CUT, enfim todas as organizações da sociedade porque a grande discussão que nós temos feito é que se não houver uma discussão, uma unidade naquilo que é comum em todas as organizações que são ligadas ao campo na Paraíba e superar as divergências, as diferenças uma ou outras pelo que é secundário, a gente não vai conseguir avançar, porque de um lado nós temos aí a força do agronegócio com todo o poderio econômico, o poderio político e com certeza as organizações do campo elas são muito mais fortes se estiverem unidades”, explica Nelson Anacleto ao dialogar com Stúdio Rural na manhã deste sábado(05/11).

Segundo a assessora no Pólo da Borborema, Áurea Olímpia Figueiredo Rêgo, o objetivo da sessão é trazer o debate sobre as conseqüências danosas do uso de agrotóxicos para a sociedade paraibana tomando como base estudos importantes desenvolvidos pelas entidades da agricultura familiar agroecológica.

Ao contatar com Stúdio Rural, a assessora no Pólo da Borborema, Áurea Olímpia Figueiredo Rêgo, comentou que estarão presentes setores importantes que trabalham sustentabilidade no estado e região a e que durante a Sessão, os presentes poderão ouvir os depoimentos de quatro agricultores de quatro regiões do estado (Sertão, Borborema, Litoral e Agreste) sobre suas experiências negativas com o uso de agrotóxicos, que será aberta ao público e devem participar caravanas de agricultores e agricultoras de todas as regiões da Paraíba. A sessão especial faz parte de um conjunto de atividades que o Fórum vem desenvolvendo desde o mês de setembro, em preparação para a Semana Mundial da Alimentação comemorada em outubro. Vários sindicatos e organizações vêm debatendo o assunto com a exibição de vídeos, visitas e intercâmbio e mobilizações por uma vida mais saudável e sem o uso de agrotóxicos”, explica Olímpia.

Rêgo informou, ainda, que o Fórum das Organizações da Sociedade Civil em Defesa da Agricultura Familiar e da Reforma Agrária na Paraíba é uma articulação que surgiu no início deste ano e foi formalizada em julho e tem o objetivo de articular as várias experiências e lutas pelo fortalecimento da agricultura familiar camponesa e pela reforma agrária no estado, no sentido de unificar o que é comum a todas as entidades que atuam no campo.

Fonte : Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top