Variedades de sementes locais da Borborema são lançadas em evento no Brejo paraibano

Famílias agricultoras que trabalham o armazenamento das sementes da paixão, através de bancos de sementes familiares e comunitários, e entidades assessoras do movimento da agricultura agroecológica do Pólo da Borborema se reuniram para o lançamento do programa de sementes da paixão que aconteceu na última quarta-feira(11/04), na estrutura destinada ao Banco mãe de sementes, em Lagoa Seca, Brejo paraibano.

O evento contou com participação de representações da SEDAP, Secretaria de Estado do Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca; Delegacia Federal do Desenvolvimento Agrário do MDA, Conab dentre outras e representou espaço expositivo e de reivindicação já que está fazendo um ano, neste mês de abril, que o governo paraibano se comprometeu em finalizar a obra construída com recursos do MDA e até agora não finalizou a obra conforme negociado com a agricultura familiar regional.

“A agricultura familiar está na agenda do governo do Estado da Paraíba, é prioritária dentro do processo de desenvolvimento do nosso estado, o governador Ricardo Coutinho a partir de todas as suas secretarias tem uma unificação que envolve a agricultura familiar e, no que se trata de sementes, ainda existe um desafio enorme de conseguirmos consolidar a compra pelo governo do estado direto aos agricultores familiares que produzem sementes de qualidade, sementes adaptadas e nós acreditamos, enquanto governo, enquanto secretaria de desenvolvimento da agropecuária e da pesca, que é nesse ano de 2012 que essa compra ela será materializada”, explica o secretário da agricultura familiar do governo do estado, Alexandre Eduardo, ao justificar o que a agricultura chamou de contradição da distribuição de sementes feita pelo Governo Estadual e Federal acrescentando que as obras que não foram iniciadas conforme o prometido pelo governador Ricardo Coutinho desde o ano passado terão início em breve já que os trâmites legais estão sendo finalizados.

Para o coordenador do Pólo Sindical da Borborema, Nelson Anacleto, o trabalho significa o lançamento de uma dinâmica que existe em todo o Território da Borborema onde entidades e agricultores têm investido fortemente no resgate, valorização e fortalecimento da diversidade de sementes tradicionalmente trabalhadas em toda a região e que passam a ser ameaçadas com a entrada de sementes produzidas por empresas já que tiram a condição de se trabalhar a diversidades de culturas que são trabalhadas pelas famílias.

Ao dialogar com Stúdio Rural o agricultor Luiz Pereira de Sousa, residente na comunidade Salgado do Sousa, em Solânea, disse que esse foi mais uma oportunidade para se mostrar a existência abundante de sementes trabalhadas em toda a região, fazendo com que as famílias se motivem em utilizar suas variedades e cobrem dos governantes que valorizem a cultura local com respeito as práticas regionais. “É porque nós temos uma sementes aqui de nossos tataravós, sementes de cem ou cento e tantos anos e é uma semente que dá com pouca chuva, uma semente de qualidade, uma semente que dá saúde a todo consumidor que consome e é uma semente que não podemos deixar que daqui a cem ou duzentos anos essas sementes saíam de nossa região porque é uma semente adaptada ao solo, ao clima e é uma semente bem preparada e bem guardada por nós agricultores porque nós temos muito amor por essas sementes da paixão”, explica aquele agricultor ao dialogar com os ouvintes das emissoras parceiras.

Sousa comentou que a falta da conclusão da obra destinada ao Banco mão de sementes traz uma grande preocupação para os componentes da agricultura familiar local porque antes do governador ser eleito ele fez a promessa, em seguida voltou ao local pra fazer inauguração inicial com mais uma promessa de conclusão sem que nada tenha sido feito até o momento. “Em nome da agricultura familiar, pedimos ao senhor governador que nos apóie, apóie essa semente porque já foi promessa do governador e esse é um canto adequado pra nós guardar essa semente porque é um local bastante adaptado para guardar essa semente”.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top