Agricultores de três municípios discutem bancos de sementes em Mogeiro

Famílias de agricultores dos municípios de Lagoa Seca, Gurinhem e Mogeiro, estiveram reunidas no Assentamento João Pedro Teixeira, no município de Mogeiro, agreste paraibano, em evento que aconteceu na última quinta-feira(02 de agosto).

O evento teve o objetivo de troca de experiências com as ações de bancos de sementes a partir de um curso realizado recentemente pela Embrapa Transferência de Tecnologias, Campina Grande, envolvendo as famílias dos três municípios que interessam produzir variedades de sementes desenvolvidas pela Embrapa, adotando a proposta de produzir para desenvolver bancos de sementes comunitários com recursos do Ministério do Desenvolvimento Agrário.

Na opinião do técnico da Emater, regional Mogeiro, Antônio Jocemar da Silva, o evento é importante a medida em que oferece condições aos agricultores de produzirem sementes para guardar e ter a garantia do acesso ao produto logo nas primeiras chuvas de cada ano. “Entendemos que com essa parceria entre governo federal, Embrapa, Emater e agricultores em produção de sementes, ele possa adquirir esse conhecimento a cerca das tecnologias adotadas pela Embrapa, onde ela possa disseminar entre os agricultores e a partir daí ele possa produzir realmente semente e grãos com qualidade”, argumentou Jocemar ao contatar com a equipe Stúdio Rural, dizendo acreditar que a proposta do governo federal fará com que o agricultor produza sementes de qualidade, podendo discernir entre semente selecionada e o grão próprio para o consumo.

Ao ser entrevistado pela equipe Stúdio Rural, o presidente da Associação dos Agricultores do Assentamento João Pedro Teixeira, José Carlos da Silva, disse que o trabalho que está sendo desenvolvido, fará com que os agricultores produzam sementes de qualidade e a partir daí reconheçam que a seleção de sementes não é apenas guardar o produto e sim fazer o esforço para separar as melhores sementes num sistema de melhoria que se dar ano após ano.

Para o agricultor familiar Noaldo Andrade, residente no Sítio Retiro de Lagoa Seca, há uma satisfação dos agricultores em verem que a Embrapa abre suas portas e vai até os agricultores discutindo de forma democrática na hora de levar suas tecnologias até o produtor.

“Nós estamos fazendo um trabalho que foi desmantelado pelo regime militar em 1964, onde havia a organização dos agricultores através das ligas camponesas e outros movimentos e, nós da Embrapa Transferência de Tecnologia juntamente com a parceria com a Emater, – com recursos exclusivos, que é bom que todo mundo saiba, do MDA, do governo federal, do governo Lula, para os pequemos produtores, – nós estamos montando aqui no Assentamento João Pedro Teixeira que é uma referência para os movimentos sociais, nós vamos iniciar com este trabalho de produção de sementes para formação de bancos comunitários de sementes para as comunidades e assentamentos dos agricultores familiares”, argumentou Freitas dizendo que o trabalho será feito numa parceria com diversas entidades de agricultores familiares em todo o estrado da Paraíba e que o sistema de produção terá início na safra 2008.

Na sexta-feira(03), as famílias de agricultores dos três municípios se reuniram no Sítio Retiro, município de Lagoa Seca, propriedade do agricultor Noaldo Andrade e objetivou a troca de experiência com agricultura familiar dentro das características climáticas e costumes regionais.

Fonte : Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top