Agricultores em Casserengue melhoram produção com chegada do P1+2 e Projeto Agroecologia na Borborema

Agricultores familiares do Assentamento Santa Paula, em Casserengue, Curimataú paraibano, estão iniciando o novo trabalho a partir da chegada das cisternas calçadão que é uma ação do Projeto Uma Terra e Duas Águas, P1+2 financiada pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate a Fome e com o programa de distribuição de mudas do Projeto Agroecologia na Borborema, ação financiada pela Petrobrás através do Programa Petrobrás Ambiental.

style=FONT-FAMILY: 10pt FONT-SIZE: ?Arial?,?sans-serif?;>Com o P1+2 as famílias têm mais água para a produção já que as cisternas tem capacidade de 52 mil litros de água destinada a produção agrícola ao redor das residências e com o Agroecologia as famílias têm acesso a mudas de culturas diversas que envolvem uma ampla diversidade de plantas medicinais, plantas ornamentais, de reflorestamentos e plantas frutíferas que contribuirão para uma melhor qualidade de vida das famílias agricultores.

style=FONT-FAMILY: 10pt FONT-SIZE: ?Arial?,?sans-serif?;>Para o agrônomo da AS-PTA, Emanoel Dias, o projeto Agroecologia na Borborema visa estimular uma leitura compartilhada da problemática ambiental na região da Borborema tratando, sobretudo, as questões da degradação ambiental, mas também propondo uma ação articulada com as iniciativas desenvolvidas no território pelos próprios agricultores como uma forma de superar a problemática do desequilíbrio ambiental. “Com essas ações as entidades do Pólo da Borborema também estão apontando, a partir das experiências dos agricultores, caminhos a serem trilhados para amenizar esses efeitos que tem afetado a agricultora regional e as pessoas de forma geral”.

style=FONT-FAMILY: 10pt FONT-SIZE: ?Arial?,?sans-serif?;>Dias é da opinião de que as ações de reflorestamento serão intensificadas a partir de um trabalho de construção e fortalecimento de viveiros que proporcionarão o plantio de plantas nativas e exóticas em toda a região numa lógica de aumento na capacidade da geração de trabalho e renda com uma dinâmica de fortalecimento também do meio ambiente em que vivem as pessoas que produzem alimentos para suas famílias e para oferta nos mercados agroecológicos locais.

style=FONT-FAMILY: 10pt FONT-SIZE: ?Arial?,?sans-serif?;>Essas ações estão em movimento e nós do Programa Domingo Rural fomos ao município de Casserengue e conversamos com o agricultor Expedito Pereira de Lima, residente e beneficiário no Assentamento Santa Paula e, neste domingo(29), ele falou sobre a importância das ações integradas do projeto na vida da família e de todo o coletivo daquele assentamento. “Pra mim é sem pareia essas coisas, tenho água sossegado, graças a Deus tenho aí pra aguar, pra dar a um animal, pra gente se manter com ela. A de beber está ali cheinha, então não tem coisa melhor que essa não”, comemora o agricultor ao falar para os ouvintes da Rádio Serrana em conexão com a Rádio Cultura de São José do Egito e Rádio Independente FM de Serra Branca, lembrando que sem os recursos hídricos fica impossível desenvolver um trabalho de plantio diversificado de cultivos a exemplo do trabalho que ele e a família estão desenvolvendo dentro da distribuição de mudas do Projeto Agroecologia da Borborema.

style=FONT-FAMILY: 10pt FONT-SIZE: ?Arial?,?sans-serif?;>A agricultora Luzia Santos de Lima, reside naquele assentamento e falou com nossa equipe sobre o trabalho que ela vem desenvolvendo com o plantio de mudas diversas e com o plantio de verduras destinadas à alimentação da família a partir dos recursos hídricos disponibilizados pela cisterna calçadão do P1+2. style=mso-spacerun: yes>  “A idéia das cisternas é boa demais, nós nunca vimos esse programa nas mãos da gente e agora chegar assim é bom demais onde a gente pode plantar uma hortinha e quando a gente precisar não vai comprar na feira”, comemora a agricultora garantindo que antes só era possível ter um produto verde no período do inverno e agora é possível fazer plantio em toda a época do ano.

style=FONT-FAMILY: 10pt FONT-SIZE: ?Arial?,?sans-serif?;>Naquele assentamento nós conversamos também com o agricultor, José Ivanildo Cassiano dos Santos, e ele diz que a idéia das cisternas de placa inicialmente é uma maravilha, que a cisterna calçadão vem fortalecer a primeira água e a chegada das mudas para o plantio na agricultura familiar é uma idéia danada de boa.

style=FONT-FAMILY: 10pt FONT-SIZE: ?Arial?,?sans-serif?;>Ao falar no Domingo Rural deste domingo(29) ele falou sobre a experiência desenvolvida(foto), sobre as culturas já implantadas na unidade produtiva e sobre os planos a serem colocados em práticas brevemente a exemplo da busca de adquirir uma barragem subterrânea que será suporte importante para que a família amplie a capacidade de produção agrícola. “A idéia é boa pra nossa convivência”, explica o agricultor dizendo que a cisterna serve como água de salvação das culturas que com o uso da água chega ao inverno do ano seguinte com resposta produtiva.

style=FONT-FAMILY: 10pt FONT-SIZE: ?Arial?,?sans-serif?;>Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top