Apicultura paraibana marca presença na Feira do Empreendedor 2009 em João Pessoa

A apicultura paraibana marcou presença com seus produtos e ações na Feira do Empreendedor que aconteceu de 2 a 5 de outubro, no Espaço Cultural José Lins do Rêgo, em João Pessoa.

Segundo o coordenador estadual do Fórum de Apicultura e gerente executivo da produção agropecuária da Sedap, Ubiratan Escarião, a apicultura participou da feira realizando o segundo encontro paraibano de apicultura e meliponicultura dando continuidade ao sucesso do primeiro encontro na edição 2007 da feira realizada em Campina Grade. “Um detalhe bastante importante é que a gente possa contemplar os elos da cadeia produtiva e a cadeia produtiva vai do produtor ao consumidor e uma capital como João Pessoa, no momento em que uma feira daquela estava reunindo um número enorme de pessoas e apicultores que estiveram também de um modo geral e agente conseguir divulgar a importância da apicultura tanto para o meio ambiente como no lado econômico e do lado nutricional foi pra gente uma grande oportunidade”, relata Escarião.

Ele disse que o consumo do mel no Estado da Paraíba ainda é pequeno, especialmente porque as pessoas ainda usam o mel apenas como medicamento e não enquanto alimento, sendo papel do Fórum da Apicultura divulgar em todos os espaços a importância do mel e produtos das abelhas na alimentação das pessoas, tomando como base sua riqueza nutricional. “Por incrível que pareça o consumo de mel em nosso estado ainda é muito pequeno, ou seja, durante e historicamente, o mel sempre foi utilizado como remédio e na verdade não é apenas um remédio, é um alimento de excelente qualidade nutricional, porém a gente tem procurado tirar a nossa região dum volume per capto do 60 gramas praticamente por pessoa ano que é o consumo de uma pessoa pra ver se a gente eleva a patamares bem maiores, por exemplo; no Brasil o máximo que pode chegar na região Sul ou talvez Sudeste são 200 gramas por consumidor/ano e tem países na Europa que chega a dois quilogramas como é o caso da Suíça, caso da Alemanha que chega a 1,8 a 2,0 quilos que é um consumo espetacular”, explica Escarião, ao argumentar que esses países tem o mel como parte da dieta alimentar.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top