Assentados no Vale do Paraíba desenvolvem construção de silos para convívio com as secas

SR081115cA experiência bem-sucedida de produção de silagem por agricultores do Assentamento Novo Horizonte, em Juarez Távora, a cerca de 90 quilômetros da capital paraibana, está dando frutos em vários assentamentos da região do Vale do Paraíba.

Segundo a assessora de comunicação do Incra-PB, Kalyandra Vaz, nas últimas semanas, quatro silos foram construídos nos assentamentos Padre João Maria Calchi, Dom Marcelo e João Pedro Teixeira, no município de Mogeiro; e no assentamento Almir Muniz da Silva, em Itabaiana, com técnicas de produção e armazenamento de forragem sendo disseminadas entre as famílias assentadas na região pelas equipes da Cooperativa da Agricultura e Serviços Técnicos do Litoral Sul Paraibano (Coasp), entidade contratada pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) para prestar serviços de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) a 3.415 famílias de 58 assentamentos nas regiões do Vale do Paraíba, Zona da Mata Norte e Zona da Mata Sul.

Em contato com Stúdio Rural, Vaz explica que desde o ano passado a Coasp vem promovendo intercâmbios sobre produção de forragem e construção de silos para as famílias assentadas acompanhadas e que em novembro de 2014, representantes dos 21 assentamentos da reforma agrária do Vale do Paraíba participaram de um dia de campo no assentamento Novo Horizonte, localizado na mesma região, para aprender a usar tecnologias alternativas que facilitam a convivência com a estiagem, como a fabricação de defensivos naturais, a implantação de canteiros econômicos, a construção de silos com sacos e a produção de blocos de nutrientes para suplementação da alimentação animal. “A mais recente atividade, um intercâmbio sobre silagem realizado em 15 de setembro passado, também no assentamento Novo Horizonte, reuniu cerca de 20 agricultores dos assentamentos Padre João Maria Calchi, Dom Marcelo e João Pedro Teixeira, que viram na prática como é preparada a forragem e como deve ser construído um silo”, explica Vaz.

Vaz explica que, conforme o médico veterinário da Coasp Vanildo Alves Simões Filho, o trabalho vem fazendo a diferença, citando como exemplo as famílias do Assentamento Novo Horizonte que encontraram uma forma de reduzir as perdas das plantações que, diante da safra de milho prejudicada pela irregularidade e baixa quantidade de chuvas, foi aproveitada para a produção de forragem de boa qualidade, que ficará armazenada para alimentação dos animais nos meses em que há escassez de forragem e terá seu excedente comercializado entre os criadores das redondezas.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top