Defesa Agropecuária toma medidas radicais de controle da Cochonilha em Caturité

Após denúncia da chegada da Cochonilha do carmim no município de Caturité, Cariri paraibano, a Defesa Agropecuária tomou medidas de contenção da praga que prenuncia tempos de fortes prejuízos para a pecuária daquele município já que com o ataque registrado em outras microrregiões da Paraíba e Pernambuco os resultados têm sido bastante negativos para os cultivadores de palma e os criadores que tem na cultura um dos mais importantes suportes para a alimentação do rebanho.

Após entrevistar o agricultor pecuarista, Antônio Pereira, da comunidade Campo de Emas, e o presidente do Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural Sustentável, José Faustino Neto, Stúdio Rural procurou o representante da Defesa Agropecuária do Estado da Paraíba, agrônomo Antonildo Campos da Silva(foto), que falou sobre as medidas tomadas em visita feita por aquele órgão ao município de Caturité no decorrer do mês de março último.

Ele informou ter sido constatado a presença da praga em uma propriedade daquele município o que coloca toda a comunidade e os órgãos competentes em estado de alerta já que estamos em tempos chuvosos e a expectativa é de uma realidade que requer cuidados tanto por parte dos agricultores quanto das representações do município, do Estado e do Ministério da Agricultura para trabalhar o controle em tempo.

Antonildo explicou que numa área de cerca de um hectare de palma foi feito um trabalho de dizimação completa com o corte, a queima e em seguida um trabalho de limpeza na área que era utilizada pela cultura. “Então lá foi efetuado da seguinte maneira: o próprio Ministério deu todo o apoio com relação aos equipamentos, fizemos a erradicação dessa área com a palma, a substituição com detergente neutro com dosagem dez vezes maior até, com a utilização de lança chamas na área onde a palma já tinha sido erradicada para evitar novos focos da Cochonilha e fizemos uma área de seis quilômetro para averiguar em loco se havia algum indício de foco nessas propriedades, graças a Deus todas as áreas onde tivemos, e fizemos cadastro em noventa propriedades e em nenhuma dessas apresentou algum indício com relação a praga da Cochonilha”, tranqüilizou.

Ele disse que a medida parece ser radical, mas acrescentou que mais radical é a Cochonilha quando de um ataca em épocas de tempo quente, lembrando que antes de tomar qualquer medida, reuniões foram feitas com a comunidade para discutir e informar sobre as medidas e sobre as ações solidárias a serem desenvolvidas pela comunidade em apoiar o agricultor bovinocultor vitimado da Cochonilha do Carmim e ao mesmo tempo falou sobre as dificuldades enfrentadas pelos órgãos de controle e fiscalização já que a praga pode ser espalhada por diversas formas que vão do transporte de animais e da própria palma até a dispersão através do vento dentre outros meios naturais.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top