Entidades da Borborema lançam Plano Territorial da Avicultura de Corte e Postura

Entidades da agricultura familiar, Banco do Nordeste, Empaer, UFCG, cooperativas de avicultores e avicultoras, dentre outras representações da região Borborema, participaram do lançamento do Plano Territorial da Avicultura de Corte e Postura promovido pelo Banco do Nordeste enquanto entidade credora ao desenvolvimento da atividade na agricultura familiar da região.

O evento aconteceu na última quarta-feira, 31 de julho, na cidade de São Sebastião de Lagoa de Roça, Agreste paraibano, e envolveu as representações que compõem o Comitê Gestor Territorial do Território da Borborema. “Estivemos reunidos vários parceiros: Banco do Nordeste, cooperativas Copaf e mais duas cooperativas do compartimento da Borborema tudo capitaneado pelos parceiros, mas principalmente pelo Banco do Nordeste do Brasil que lançou o Prodeter, Programa de Desenvolvimento Territorial da Avicultura de Corte e Postura do Território da Borborema, inicialmente envolvendo nove municípios do território Borborema formado por 21 municípios, mas que inicialmente esse programa vai abranger nove municípios”, explica o assessor da Empaer, Antônio Ferreira Filho, ao iniciar diálogo com nosso público ouvinte, acrescentando que 100 componentes da agricultura familiar serão beneficiados. “Nós vamos levantar também as grandes questões estruturais da cadeia produtiva, como exemplo custo de produção onde nós podemos identificar, através desse trabalho que vai ser realizado de custo de produção, quais são os gargalos que estão a impedir que a cadeia produtiva da avicultura seja bem mais competitiva”, exemplifica Ferreira.

Entrevistado em nossos programas, o coordenador dos NEDETS e professor da UFCG, Márcio Caniello de Matos, classificou como uma ação importante já que oferece condições financeiras para fortalecer ações do conjunto das famílias cadastradas que passam a receber acompanhamento numa dinâmica participativa e ao mesmo tempo passam a construir referências que serão replicadas por outras famílias agricultoras na Borborema e outros territórios. “Nós fomos convidados e não poderíamos deixar de participar representando a UFCG porque tanto meu núcleo de pesquisas e extensão quanto a própria universidade sempre estão à disposição pra parcerias que venham engrandecer a agricultura familiar do estado”, explica aquele professor pesquisador detalhado as ações discursivas trabalhadas no evento pelo conjunto das entidades e famílias agricultoras presentes. “Você sabe que a cadeia produtiva da avicultura caipira vem se firmando no Território da Borborema já há algum tempo com muitos produtores e produtoras e realmente é um arranjo produtivo numa cadeia produtiva estratégica para a agricultura familiar do território Borborema e de outros territórios da Paraíba também”, continua Caniello durante amplo diálogo com nosso público ouvinte Domingo Rural e Esperança no Campo.        

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top