Pesquisador da Embrapa evidencia importância da construção participativa do conhecimento na agricultura familiar

SR060417bO crescimento real da agricultura familiar neste contexto de articulação no semiárido está relacionado ao processo de resistência e construção das famílias agricultoras e suas entidades na consciência de semiárido, consciência que proporciona um olhar focado no presente, no passado e também no futuro com a visão de sustentabilidade o que faz com que lute sempre pela preservação de sua história, de seus valores e de sua cultura como é o caso de apostar numa educação contextualizada e o processo de preservação de suas sementes crioulas, sementes da resistência, sementes da paixão.

A opinião é do pesquisador da Embrapa Algodão Campina Grande, Marenilson Batista da Silva, participante do ‘Seminário sobre pesquisas e gestão dos bancos de sementes comunitários da Borborema’ que aconteceu durante a última terça e quarta-feira, dias 04 e 05 de abril, na cidade de Campina Grande e que contou com participação de pesquisadores da Embrapa Algodão, Embrapa Tabuleiros Costeiros e dezenas de famílias agricultoras gestoras de bancos de sementes da Borborema e do Cariri e Agreste paraibanos, através de suas entidades representativas.

Entrevistado por Stúdio Rural, Marenilson faz um balanço sobre o conjunto de trabalhos de pesquisas e sistematização dos conhecimentos integrados da agricultura familiar em parceira com as entidades de pesquisa daquela empresa brasileira e em sintonia com as entidades da Articulação do Semiárido Paraibano. “É um seminário que discute a pesquisa, que discute a construção participativa do conhecimento que deve ser construído de forma coletiva e participativa, por isso que a presença da Embrapa nesse local representa esse ajuntamento de conhecimento e mostra que a Embrapa está a disposição e pode, junto, construir todo esse processo de melhorias dentro da agricultura familiar. A presença da Embrapa está em seu núcleo de agroecologia fazendo com que tenhamos esse espaço privilegiado para a construção do conhecimento agroecológico, conhecimento com sustentabilidade e com uma pesquisa voltada para a realidade local”, explica Batista ao dialogar com Stúdio Rural durante ampla entrevista que será trabalhada no Programa Esperança no Campo e Programa Domingo Rural deste final de semana.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Foto:  Arquivo

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top