Programa Domingo Rural acompanha circuito cultural pernambucano do repente e do forró

Duas cidades do Pajeú pernambucano realizaram um grande festival de cultura regional tendo como ênfase o forró e a cultura da viola em eventos que aconteceram durante os dias 18 e 20 deste mês na cidade de Brejinho e 21 e 22 na cidade de Tabira, contando com o acompanhamento do Programa Domingo Rural que tem na cultura regional importante instrumento de expressão da atividade camponesa associada á cultura do milho, do feijão, da fava e de inúmeras culturas nativas da região que compõem a agricultura e a pecuária da região semiárida brasileira.

Os eventos denominados de ‘Circuito cultural pernambucano do repente e do forró’ tiveram a realização da ONG Arribaçã, apoio daquelas prefeituras, patrocínio do Governo Federal através do Ministério do Turismo e contaram com a participação das duplas de violeiros Ivanildo Vila Nova e Raimundo Caetano, João Lourenço e Ipólito Moura, Severino Feitosa e João Paraibano, Chico de Assis e Ismael Pereira, Raimundo Borges e Josival Viana, Antônio Lisboa e Edimilson Ferreira, Rogério Menezes e Raulino Silva além do declamador Iponax Vilanova.

Também participaram importantes grupos de forró a exemplo de Forró de Mãe Joana, Gaviões do Forró, Forrozão Pode Balançar, Casadões do Forró e Impacto Musical que fizeram a festa para o público de municípios do Pajeú pernambucano dentre cidades de outras regiões do estado e estados vizinhos.

O cantor do forrozão pode balançar, Francinaldo, é de Angicos no Rio Grande do Norte e disse da alegria de ter cantado naquela microrregião pernambucana como forma de divulgar o trabalho que vem sendo feito pelo grupo. “Pra gente foi um prazer enorme tocar aqui e espero que a gente tenha a oportunidade de vir mais vezes e quando a gente vir a galera lembrar da gente e cantar nossas músicas com a gente”.

O empresário do grupo Impacto Musical, Pedro Almeida de Oliveira, é da cidade de Luiz Gomes, e fala do evento e do trabalho que foi apresentado pelo grupo. “Pela primeira vez que a gente se apresenta aqui em Brejinho e estamos sentindo o calor do povo, é de suma importância pra gente fazer o trabalho no Rio Grande do Norte e mostrar aqui no Pernambuco o potencial do Rio Grande do Norte e a cidade está bem movimentada demonstrando que está engajada no projeto o que é uma satisfação pra gente”, relata.

Em contato com a equipe do Programa Domingo Rural o prefeito da cidade de Brejinho, José Wanderley da Silva, falou da importância do evento para uma microrregião que é tradicional na música regional com importantes compositores e interpretes que fazem a musicalidade regional e levam o nome do Pajeú para todos os recantos do brasil. Wandeyley garante que eventos como esse devem continuar, assegurando que o Governo Federal tem aberto a administração para a promoção da cultura e do processo de inclusão de setores sociais historicamente fora da linha de promoção das políticas públicas de governo. “É importante porque a cultura sempre vem reinando em nossa região, então é uma oportunidade muito grande pra gente apresentar a cultura nordestina, a gente que somos do Pajeú sempre precisamos disso, o nordestino sempre trabalha e sempre precisa de um espaço para se divertir e tanto a prefeitura quanto o governo federal estamos investindo muito nisso, a gente vê com olhos claros que o governo Lula é importante pra nossa região não só no sistema de obras mas também na cultura”.

O cantador de viola, Antônio Lisboa, ao ser entrevistado por Domingo Rural, garante que a cultura está vivendo um momento diferente já que sempre foi tida como cultura marginal pela grande maioria dos gestores públicos e que agora a cultura popular assume importante papel nas políticas ministeriais e assume seu papel de expandir conhecimentos e levar a cultura aos diversos recantos do país, em especial de forma interiorizada. “A novidade é ser uma promoção por instituição como o Ministério do Turismo porque a cidade de Tabira a exemplo de outras cidades como Campina Grande na Paraíba, como Mossoró no Rio Grande do Norte, como Terezina no Piauí já tem um trabalho com cantoria e uma convivência com os repentistas e com os festivais. A única novidade, a única coisa que deixa a gente mais contente é saber que além do ouvinte de cantoria tabirense, da prefeitura local, dos comerciantes locais que já investem nesse trabalho nessa arte, a gente tem agora o apoio federal do Ministério do Turismo também investindo com cultura popular e no caso da cantoria isso é uma coisa que nos deixa imensamente satisfeitos porque todos os cantadores que estão aqui representam uma quantidade muito maior que é uma categoria de cinco ou seis mil cantadores espalhados por todo o Nordeste e esse evento não fica somente no município de Tabira porque um evento de cantoria ele tem uma divulgação diferente de outros eventos”, explicou Lisboa aos ouvintes da Rádio Serrana de Araruna, Rádio Cultura de São José do Egito e Rádio Indepedente do Cariri.

Chico de Assis, é violeiro, participou do evento e fez os agradecimentos aos organizadores garantindo que a atualidade governamental está trabalhando a cultura popular de forma ampla. “Existem inúmeros caminhos para a gente agradecer a participação e dizer diante mão da felicidade de estar participando de um evento como esse, quer dizer, Tabira é uma cidade poética, fica no centro do Pajeú celeiro poético e a gente agradece diante mão a Arribaçã pela iniciativa, ao Governo Federal através do Ministério do Turismo, a prefeitura local e a participação maciça dos melhores cantadores do Brasil que estiveram hoje a noite aqui”, comenta o artista ao dialogar com os ouvintes do Programa Domingo Rural.

Quem também participou fazendo a festa foi o Forró de Mãe Joana. style=mso-spacerun: yes>  Domingo Rural conversou com o Cantor Rany Saoli que fala sobre a importância do trabalho e garante que trabalha a verdadeira cultura de raízes como instrumento de fortalecimento da cultura regional. style=mso-spacerun: yes>  “Pra gente é de grande importância, de grande valia, porque somente assim a gente pode divulgar nosso trabalho cultural, a gente pode também fazer um resgate da nossa cultura, retratar através das músicas que a gente toca e que a gente preserva ao máximo para poder permanecer com essa bandeira em vida e a gente retrata a cultura nordestina, a história do sertanejo através de nossas músicas e nossos repertórios, então é um momento altamente importante pra nós”.

O estudante e também professor na cidade de Tabira, Ribamar Ítalo Soares, participou das festividades ouvindo de perto os repertórios trabalhados e garante que o festival realmente promoveu o bom da cultura regional. “É um grande evento proporcionando a população tabirense, aos circunvizinhos o forró pé de serra que trabalha nossa cultura pernambucana e nordestina que está sendo um pouco esquecida e um evento desse traz de volta a cultura para o nosso povo”.

A professora Ivonete Pessoa é da cidade de Tabira, garante que a região gera cultura para todo o país e que os eventos trataram a cultura no grau merecido. “Pra mim foi maravilhoso, assisti desde o início, vi todos os poetas, achei maravilhoso, nossa cidade está de parabéns, o prefeito ter aceitado esse grande evento foi muito importante para nós todos porque a cidade dos poetas e cidade das tradições é Tabira e evento como esse não deve parar por aqui e sim deve continuar por vários anos”, relata aquela educadora ao dialogar com os ouvintes do Programa Domingo Rural da 590kHz em conexão com a 1320kHz e a 107,7 MHZ.

Rogério Menezes é cantador de viola, fez a festa da poesia, do verso e da viola e comenta a alegria de ter cantado com a força da programação cultural do governo federal. “Cantar em Tabira é cantar na minha terra, minha família mora aqui, eu já morei aqui muito tempo, a minha cidade é Imaculada e fica a doze quilômetros de Tabira e aqui é muito importante porque aqui é o sertão do Pajeú um lugar onde a cantoria é forte, um lugar onde praticamente a cantoria nasceu nessa divisa do Pernambuco com a Paraíba e voltar a Tibira é voltar a ter muitas alegrias onde tive no passado, aqui eu comecei a ouvir os primeiros cantadores: João Furiba, Pinto do Monteiro, João Patriota, Lourival Batista, e é com alegria que eu volto e dizer que essa cidade hoje está privilegiada, beneficiada com esse evento do Ministério do Turismo, do Governo Lula que é um governo que tem apoiado muito a cultura popular, a nossa categoria de repentista está incluída na programação cultural do Governo Federal”, comemora.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top