Revitalização da batatinha no Agreste paraibano é tema de encontro em Esperança

Agricultores familiares e entidades da agricultura familiar do Agreste paraibano participaram de um encontro no município de Esperança, no último dia 19 de março, promovido pela Comissão Territorial da Borborema, objetivando discutir assuntos relacionados ao processo de revitalização da cultura da batatinha em municípios da região nesta safra 2019.

Ao participar do Programa Esperança no Campo e Programa Domingo Rural deste final de semana, a professora da UEPB, Campus Lagoa Seca, Élida Barbosa Correa, detalhou o encontro de agricultoras, agricultores e representações da agricultura familiar que avaliou e planejou a continuidade do trabalho com a cultura nas dinâmicas agroecológicas. “Foi um seminário pra tratar da revitalização da batatinha, porque a batata semente está no frigorífico de Esperança e o pessoal vai começar a plantar, então a comissão territorial se reuniu pra falar sobre a questão do plantio, sobre quais dias o frigorífico vai estar aberto para o pessoal poder pegar a batatinha semente e a gente aproveitou para apresentar o projeto ‘Centro Vocacional Tecnológico de Agricultura Orgânica em Agroecologia’ com o nome de agrobiodiversidade no semiárido, nesse projeto a gente trata de várias ações ligadas a temática da agroecologia, da forma como está a agricultura familiar em atividade ecológica e também pra promover o curso de agroecologia da UEPB. Então uma das ações que a gente tem dentro desse projeto é a revitalização da batata agroecológica, então a gente já vem trabalhando com relação a prática ecológica de pragas e doenças e, nesse seminário, nós fizemos a socialização do experimento que a gente instalou em Montadas no ano passado quando foi compartilhado com os agricultores e além disso nós fizemos uma apresentação sobre o sistema de produção da batata agroecológica porque muitos agricultores vão plantar batata pela primeira vez já que faz muito tempo que não plantavam”, explica falando sobre o papel do governo paraibano na aquisição de novas sementes e evidenciando as parceiras nas ações e projeto que congrega UEPB (Campus de Lagoa Seca), BNB, EMPAER, UFPB (Campus de Areia), SEDAP, INSA, entidades do Polo da Borborema dentre outras.

Em contato com nosso público ouvinte, Élida explicou que no primeiro momento foi apresentado um conjunto de resultados de pesquisas participativas com o manejo da fertilidade dos solos, controle alternativo de pragas e doenças e depois foram definidas as principais ações para 2019 acrescentando que atualmente existem 920 caixas de batata semente que vão ser distribuídas para cerca de 250 famílias nos municípios de Areal, Esperança, Arara, Montadas, Massaranduba, Lagoa Seca, Lagoa de Roça, Remígio e Puxinanã. Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Faça um comentário

Todos os campos obrigatórios são marcados como (requerida). Seu Endereço de e-mail não será publicado

Voltar para o topo