Secretário Nacional de Juventude do Governo Federal fala sobre Encontro de Jovens Rurais acontecido em Campina Grande

SR170216aParticipante dos Programas Domingo Rural e Esperança no Campo para falar sobre o Encontro de Jovens Rurais do Semiárido que aconteceu em Campina Grande de 28 a 31 de janeiro último, o secretário nacional de Juventude do Governo Federal, Gabriel Medina, classificou como de importância fundamental por ter reunido jovens de todo o estado da Paraíba e ao mesmo tempo representações dos diversos estados nordestinos e do Vale do Jequitinhonha mineiro para discutir o semiárido que ultrapassa o numérico de 22 milhões de pessoas e que, dentro desta dinâmica, o Governo Federal se fez presente para ouvir a juventude e ver o quanto o segmento tem inovado na busca para o desenvolvimento estimulada pelos investimentos em políticas públicas que o estada da Paraíba tem desenvolvido com o Governo Federal. “Então estar aqui no INSA que é um instituto simbólico que tem pensado tecnologia de inovação conectando também com o instituto ASA que tem uma história de trabalho muito forte, o Governo do Estado da Paraíba e Governo Federal eu acho que toda essa sinergia pode produzir também coisas novas pra essa região e pra essa juventude”, explica Medina.

Ele garante que o ano de 2015 foi ano em que a juventude teve tentativa de ataque aos seus direitos, mas evidencia a Conferência Nacional de Juventude que aconteceu em Brasília dentro do reflexo de organização de todos os territórios em todos os estados da federação afirmando a luta pela reforma agrária, não redução da maioridade penal dentre outras e garante que resoluções importantes sairão a partir dessa conferência nacional. “Existe um plano nacional de juventude tramitando no Congresso, esse plano está muito desatualizado ele foi apresentado em 2003, o debate que nós temos no Congresso Nacional é que nós queremos atualizar esse plano a partir da Conferência Nacional de Juventude, então qual é o nosso trabalho agora? A conferência acabou agora no final de dezembro e nós precisamos processar essa conferência, nós precisamos pegar as resoluções da conferência e traduzi-la agora com um plano pra dez anos. O trabalho que nós temos agora é a partir dessa escuta que nós fizemos ampla e intensa no Brasil com mais de 100 conferências territoriais rurais de juventude, com de mil etapas municipais em conferências livres e é a partir desses produtos construir um plano adequado a essas demandas da realidade da juventude brasileira”, explica ao dialogar com o público ouvinte de nossas emissoras parceiras.

Aquela liderança garante que o encontro acontecido em Campina Grande representa uma continuação de todos esses trabalhos que vêm sendo desenvolvidos nos territórios e diz acreditar que foi espaço de compartilhar informações sobre como a juventude camponesa vem se articulando de estado para estado na região semiárida brasileira colocando estratégias de cobrança e construção de políticas públicas para a categoria. “Aqui foram colocados questões como a importância de as políticas serem pensadas a partir do território, a partir das demandas locais, colocou-se essa questão do crédito que muitas vezes a gente faz uma política de crédito que o jovem não consegue acessar em razão da burocracia ou mesmo quando a gente chega com o Pronatec, mas os cursos ofertados não são aqueles que o jovem deseja, são voltados para o agronegócio e não para a agricultura familiar, o que se percebe aqui é que ainda falta muita política para a juventude rural e isso é um reconhecimento que o governo federal tem que compreender como é o caso da política de cultura, lazer, comunicação com o acesso a internet, então falta muita coisa, mas não só falta, precisa se planejar melhor e precisa fazer com que o Governo Federal tenha a capacidade de ir nos territórios para escutar as demandas e construir suas políticas a partir dos sonhos e desejos das juventudes que convivem no território”.

O evento foi uma promoção do Projeto de Desenvolvimento Sustentável do Cariri, Seridó e Curimataú (Procase), aconteceu na sede do Instituto Nacional do Semiárido (Insa/MCTI), em Campina Grande (PB) e objetivou fortalecer as pautas da juventude do Semiárido nos espaços de participação e no processo de construção das políticas de desenvolvimento territorial, além de contribuir com subsídios e diretrizes para o Plano Nacional de Juventude e o Plano de Sucessão Rural.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top