Sindicato de Queimadas conquista viveiro de mudas e discute estratégia para rearborização do município

Agricultores e agricultoras familiares do município de Queimadas participaram do I Encontro municipal de coletores de sementes daquele município, em reunião que aconteceu no último dia 13, na sede do Sindicato dos Trabalhadores Rurais e contou com cerca 40 camponeses da agricultura familiar com público composto de adolescentes, jovens e adultos interessados em discutir e desenvolver ações e políticas estruturadoras e, neste caso, trabalhar o processo de rearborização das propriedades rurais que já se encontram amplamente devastadas em diversos pontos do território do município.

Durante o encontro foi anunciado pela direção daquele sindicato e parceiros sobre a chegada de um viveiro de mudas, que após ampla discussão convencionou-se que será instalado na comunidade Bodopitá e unidade de produção de árvores nativas e adaptáveis ao município com um trabalho que envolverá moradores e moradoras das diversas comunidades desde a produção das mudas, plantios nas unidades rurais, tratos culturais até o manejo sustentável da caatinga.

Cleibson dos Santos Silva é componente da ONG AS-PTA, entidade que assessora agricultores e entidades da agricultura familiar agroecológica de diversos municípios da Borborema e, ao dialogar com Stúdio Rural, disse fazer avaliação positiva já que os jovens e adultos vêm na luta para implantar um viveiro de mudas para fazer um trabalho amplo no plantio de culturas nativas e adaptáveis naquele município como forma de voltar a ter lenha, estaca, dentre outros assessórios necessários no dia a dia da agricultura além de tornar o ambiente ecologicamente equilibrado. “Faço uma avaliação positiva onde os agricultores, jovens e adultos aqui de Queimadas vêm querendo realizar um grande sonho que era a instalação de um viveiro municipal e esse sonho hoje está sendo concretizado onde a juventude vem sempre fortalecendo da própria região do Pólo da Borborema e hoje eles são contemplados com um viveiro onde eles vão poder estar mais perto produzindo mudas”.

Falando aos nossos ouvintes das emissoras parceiras, a diretora do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Queimadas, Ana Paula Cândido, explicou ter sido importante espaço em que se discutiu a implementação da nova ação que tem financiamento do P1+2 Programa Uma Terra e Duas Águas, implementado pela Organização Não Governamental AS-PTA com recursos do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) e do Projeto Terra Forte, co-financiado pela União Europeia e garante que o viveiro mudará para melhor o panorama ambiental do município de Queimadas.

Paula Cândido garante que o município já se depara com uma realidade onde as propriedades estão cada vez menores para comportar os componentes familiares no processo produtivo e consequentemente devastadas e que já são pontos prioritários de preocupação daquele sindicato como forma de intensificar as ações e políticas para superar esses e outros pontos deficientes. “Aqui tem propriedades em que não mais se ver nem uma matinha, então a gente fica assim pensando: o que será daquela comunidade daqui a alguns anos se continuar do jeito que se encontra? Mas então temos projetos e propostas para que a gente comece a arborizar na lógica de que se derrubou uma arvora, por necessidade, plante duas”, explica ao dialogar com nossas emissoras e programas radiofônicos rurais.

Jovens agricultores experimentadores do município de Massaranduba participaram do encontro em Queimadas como forma de intercambiar técnicas, tecnologias e conhecimentos baseados no trabalho de produção de mudas, plantio e manejo das matas em Massaranduba, mostrando que o trabalho que entra para o terceiro ano de implantação já oferecem frutos com oferta de lenha para uso na queima para cozinhar os alimentos, retirada de cabos de foices, enxadas, ração para animais e até para os seres humanos quando se relaciona as culturas frutíferas dentre outras. “De Massaranduba foi trazido a experiência da comissão de juventude municipal de nosso município e o trabalho que a juventude vem desenvolvendo no viveiro de mudas que a gente tem lá em nosso município”, explica dizendo que o trabalho com a juventude iniciou no ano de 2010 com o processo de participação no processo produtivo, oficinas de produção de biofertilizantes como forma de melhorar a produção em cada unidade rural familiar rural e garante no início de 2011 foram produzidos cerca de 7 mil mudas e que neste ano a revisão é fechar o semestre com produção de 24 mil mudas.

Segundo a assessora de comunicação da AS-PTA, Agricultura Familiar e Agroecologia, Áurea Olímpia de Figueiredo, a ação objetiva fortalecer o processo de rearborização no município, articulando os jovens agricultores coletores locais com a rede de coletores que já existe no território de atuação do Polo da Borborema composto por 14 sindicatos de trabalhadores rurais da região da Borborema numa ação que já envolve uma rede de seis viveiros de mudas nos municípios de Solânea, Massaranduba, Remígio, Alagoa Nova e Esperança que, juntos, produzem 130 mil mudas por ano, de mais de 100 espécies, entre nativas, florestais, arbóreas, frutíferas, exóticas, forrageiras e medicinais. “Todas as mudas são distribuídas gratuitamente com as famílias agricultoras para apoiar a rearborização nas propriedades rurais”, explica Olímpia.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top