Sindicato em Queimadas reúne jovens rurais e discute sustentabilidade local

O Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Queimadas realizou reunião com jovens agricultoras e agricultores de diversas comunidades rurais daquele município com o objetivo de discutir a importância da agricultura enquanto instrumento gerador de trabalho e renda e o processo de organização e inclusão da juventude no meio rural.

O encontro aconteceu na última quarta-feira(25/01), na sede daquele sindicato, envolvendo 50 jovens que durante todo o dia trabalharam informações ligadas a importância das atividades do campo, o papel da juventude na organização sindical e ao mesmo tempo o papel do sindicato a ser exercido junto na vida do público juvenil rural.

Stúdio Rural participou do encontro e conversou com o jovem Cleber Freire Tavares da Silva, residente na Comunidade Torrões, ele disse que as atividades foram de fundamental importância e que o sindicato registra avanços já que tem uma visão ampla das atividades a serem desenvolvidas junto aos agricultores e agricultoras de todos os recantos daquele município. “Faço avaliação de que tivemos grande mudança com os trabalhos de nossa amiga Anunciada, presidente do sindicato, que tem contribuído bastante para que o trabalho se transforme relacionado à Zona Rural”, explica acrescentando que o público jovem está se aproximando ao sindicato por encontrar atividades e ações em políticas públicas de inclusão no meio rural. Ele citou os trabalhos com fundos rotativos solidários enquanto ação produtiva e aprendizado compartilhado na busca da sustentabilidade com maior contribuição na economia familiar e ganho de autonomia nas atividades diversas no campo.

Gleydson Aragão Gomes é jovem agricultor residente no Sítio Maracajá, comunidade que foi contemplada com ações do Pólo Sindical em cisternas de placas, barragens subterrâneas, cisternas calçadão e fundos rotativos solidários dentro das ações do Projeto Agroecologia na Borborema patrocinado pela Petrobras via Programa Petrobrás Ambiental dentre outras parcerias. “Graças ao sindicato que vem ajudando muitas comunidades não só do sítio Maracajá, mas Furnas e tantas outras comunidades, o sindicato vem ajudando, vem representando, está sempre ali presente em nossas comunidades”, explica o jovem agricultor ao falar aos ouvintes do Programa Universo Rural da última quinta-feira(26) e Programa Domingo Rural em rede neste domingo(29/01).

Gleydson é da opinião de que o trabalho sintonizado entre famílias agricultoras, associações e sindicato tem feito com que os jovens camponeses descubram alternativas produtivas no meio rural e dado afirmação para que acreditem na atividade agrícola enquanto atividade capaz de dar suporte na geração de trabalho, renda e auto-estimai. style=mso-spacerun: yes>  “Agricultor hoje em dia não é mais aquele terror como era não, antigamente o pessoal tinha vergonha de dizer eu sou agricultor, porque? Hoje em dia não, hoje em dia mudou muito, agricultor é uma forma de vida, agricultor é como qualquer um trabalho que pode representar tudo na vida de uma pessoa”, explica.

Ana Paula Cândido Macedo é coordenadora de juventude do STR e, ao participar dos programas nas emissoras parceiras, disse que as atividades superaram as expectativas e que esse é um trabalho continuado desenvolvido pela entidade sindical que terá seqüência por todo esse ano de 2012. “O sindicato quando começou era mais a questão da previdência social e é exatamente isso que, desde a administração de Anunciada, a gente vem mostrando que o sindicato também não é só previdência social, tem os benefícios que a gente também pode adquirir por parte do sindicato com as parcerias que nós temos, como você já viu as questões dos fundos rotativos, a questão das cisternas e outras ações que já vêm sendo desenvolvidas pelo sindicato. E também o intuito nosso de mostrar o sindicato é porque na maioria das vezes o jovem não sabe o que é o sindicato dos trabalhadores rurais, então a gente achou de necessidade apresentar pra em seguida a gente começar a mostrar os nossos trabalhos atuais e para que eles possam saber e sair dizendo o que é realmente o sindicato que não é só previdência social e que tem um style=mso-spacerun: yes>  trabalho muito bonito que vem se desenvolvendo na maioria das comunidades”.

A diretora presidente daquele sindicato, Maria Anunciada Flor Barbosa Morais, participou dos programas de Stúdio Rural e fez um balanço das ações desenvolvidas por aquele sindicato e sobre a disposição em fazer um trabalho continuado com a nova geração que tem o papel de assumir a agricultura com seu modelo sustentável e as lutas organizadas por melhor qualidade de vida no meio rural. “Na realidade é um desafio que nós enfrentamos no nosso município, envolver jovens no trabalho da agricultura é um grande desafio. É uma preocupação nossa porque o futuro da agricultura é a juventude de hoje, é a geração nova que vai assumir futuramente a agricultura não só do Brasil, não só de Queimadas, ou seja, do mundo, e nós sabemos que os gêneros alimentícios que estão até nas prateleiras dos supermercados vêm da agricultura, eles passam por um processo de industrialização, mas vêm da agricultura”.

Ela disse que a ação já vem sendo desenvolvido com esse público desde criança com um trabalho de mutirões que é feito nas comunidades rurais que trata de temas ligados à agricultura. “São dois mutirões por ano que tem trabalhado o processo de formação que tem sido feito com os pais e também tem sido feito com os filhos”.

Fonte : Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top