Ações integradas na propriedade rural melhoram padrão de vida de famílias em Juazeirinho

Trabalhar a estruturação da propriedade familiar rural de forma integrada representa prática capaz de melhorar o padrão de vida das famílias de agricultores na região semi-árida brasileira. Um exemplo disso é a prática desenvolvida na propriedade da família do agricultor Petrônio Fernandes de Oliveira e da esposa Ivoneide Nunes de Oliveira, residentes na comunidade Sussuarana de Juazeirinho, no Cariri paraibano, que style=mso-spacerun: yes>  após muitas dificuldades provocadas pela realidade climática da região e após discutirem em grupos as melhores formas de convivência com o clima-semi-árido passaram a desenvolver práticas integradas e sustentáveis capazes de proporcionar capacidade de produção, ocupação e geração de renda para a família.

Através do Boletim da Agricultura Familiar desenvolvido pelas entidades de agricultores e agricultoras Petrônio e Ivoneide contam que logo quando se casaram em 1986 a vida era bem mais difícil já que no terreno não tinham nenhum reservatório de água levando-os a buscar água num cacimbão herdado de uma família da comunidade.

Segundo o Boletim apresentado no III Seminário da Água realizado no dia 12 e 13 deste mês de novembro em Lagoa Seca, em 1988 eles conseguiram um trator e construíram uma barragem na propriedade que também servia para abastecer outras famílias, em seguida conseguiram construir uma cisterna quadrada que proporcionou melhor aproveitamento das águas de chuvas, tempos depois organizaram a associação comunitária que, a partir das discussões, proporcionou muitas ações com práticas integradas na propriedade e na comunidade.

Entrevistada por Stúdio Rural a jovem agricultora filha de Petrônio e Ivoneide, Raquel Nunes de Oliveira(foto), falou sobre a experiência compartilhada com as famílias de agricultores participantes do Seminário da Água e afirma que os esforços empreendidos já são referência para as discussões acontecidas em diversas partes do Estado. “A nossa família lá em Juazeirinho, a família de Petrônio, a minha família a gente trouxe a experiência de como aproveitar todas as formas de captação da água e o melhor manejo da água na propriedade pra gente não deixar que a água evapore e aproveitar bastante a água que é um bem precioso que temos na nossa vida”, argumenta a agricultora, acrescentando que a partir de 2003 quando a família começou se reunir na comunidade através da associação e com o apoio do Coletivo Regional de Educação Solidária, do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Juazeirinho e do Patac a vida da família mudou porque foram fazendo trocas de experiências com outras famílias de agricultores nas reuniões e eventos, fazendo com que atualmente a propriedade esteja completamente diversificada nos cultivos e saberes.

Ela informou que hoje ela e as duas irmãs encaram a agricultura como uma atividade que oferta dignidade e importante meio de vida. “Eu me identifico muito com essa área, trabalhar com agricultura, trabalhar com a terra, muitos jovens ainda não se interessam mas eu acho muito interessante e eu faço uma coisa que gosto e ajudo minha família na propriedade a manter a propriedade diversificada”, argumenta Raquel, falando sobre um pouco dessa diversidade existente na propriedade. “Tem barragem subterrânea que a gente faz o plantio de forragens para o armazenamento de forragens, plantio de batatas, de hortaliças para o consumo humano e também para comercializar os produtos da agricultura familiar e temos na propriedade uma cisterna adaptada para a roça que é do grupo de jovens de Sussuarana que trabalha também em mutirão beneficiando frutas e agora vamos produzir hortaliças que já é uma maneira da gente gerar renda na própria comunidade, não precisar de sair pra outro lugar e ficar na propriedade trabalhando juntamente com a família”, comemora Nunes.

Raquel diz que hoje a diferença na propriedade e na forma de fazer agricultura é muito grande porque hoje tem uma diversidade muito grande de plantas e animais o que tem melhorado a qualidade de vida de toda a família e das famílias que estão envolvidas no trabalho através da associação. “A cada dia que passa a gente vem discutindo em comunidade aqui na região do Coletivo e encontrando maneiras de conviver melhor com a comunidade e com a região e a partir da troca de conhecimento com outras pessoas vem melhorando a cada dia que passa e o objetivo do Coletivo Regional é fortalecer o trabalho da agricultura familiar”, relata Raquel Nunes, acrescentando que o grande objetivo é envolver desde as crianças e os jovens, os adultos e os mais idosos para que os conhecimentos não se percam e continuem sendo passados de pai para filho.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top