Encontro em Lagoa Seca discute caminhos das águas em microrregiões da Paraíba

Teve início nesta quarta-feira dia 12 com término para esta quinta-feira(13) em Lagoa Seca o III Seminário de Água do Coletivo que envolve cidades do Cariri, Seridó e Curimataú paraibano e com o objetivo de observar os caminhos das águas e como as famílias de agricultores vêm manejando os recursos hídricos em suas propriedades no sentido de se ter direcionamento de como melhorar a água na propriedade, na comunidade e na região.

Para o representante da ONG Patac, Antônio Carlos de Melo, Tonico, com a dinâmica utilizada no evento é possível perceber a malha hídrica da região mesmo que diversos rios não sejam permanentes mas, percebe-se o potencial positivo do ponto de vista hidrológico em rios, córregos e riachos, tendo ainda uma visão clara dos diversos açudes de pequeno e médio porte existentes na região que, em sua grandíssima maioria, são sub-utilizados e quando utilizados a utilização se dar de forma indevida com o uso de agrotóxicos perigosos a vida das pessoas e do meio ambiente. “Então a gente percebe que o potencial é grande e que estamos num momento muito propício na agricultura familiar porque de certa forma a gente tem avançado muito em relação a água de beber, porque se você tem água pra beber você tem forças pra pensar alternativas pra você e para a comunidade, tendo água pra beber você não quer arriscar água do barreiro ou de poço porque sua sobrevivência está em risco, mesmo que a água vá evaporar ele fica com medo de gastar daquela água, então na medida que você tem a água de beber garantida você tem forças pra assumir esse desafio, vai investir na água para outras necessidades dos animais, para a produção e acho que esse é um grande momento para a agricultura familiar que está neste processo de transição para agroecologia e que já vem estruturando suas propriedades com tanques de pedras, com cisternas, com barreiros, com cacimbas está num momento muito rico da gente pensar no melhor aproveitamento dessas águas estocadas”, pondera Tonico.

Na quarta-feira três importantes experiências de ações integradas foram apresentadas. A experiência da família do casal agricultor José Rodrigues do Couto e Josefa do Couto Rodrigues, na comunidade Malhada de Areia no município de Olivedos; a experiência com manejo da água na propriedade da família do casal agricultores Petrônio Fernandes de Oliveira e Ivoneide Nunes de Oliveira, residentes na comunidade Sussuarana, município de Juazeirinho e a experiência da família do casal agricultores Inácio Tota Marinho e Inácia Marinho residentes na comunidade Lajedo da Timbaúba, município de Soledade, práticas que, de forma integrada, estão mudando para melhor a qualidade de vida dessas famílias e sendo referência para famílias diversas em diversas comunidade do municípios e de outros municípios na Paraíba e em Estados outros na região semi-árida brasileira.

Durante o evento os participantes trabalharam com apresentação de mapas que permitem ter uma visão da realidade hídrica em cada município e ao mesmo tempo discutindo políticas voltadas para o desenvolvimento da região; trabalho em grupo abordando quais as riquezas e quais os principais desafios que as famílias agricultores têm para melhor aproveitar a água de suas propriedades, comunidades e região; apresentação de duas exposições sobre a transposição das águas do rio São Francisco com discussões sobre o tema evidenciado dentre outros.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top