Algodão agroecológico toma força no Sertão do Pajeú pernambucano

A Embrapa Algodão Campina Grande, entidades de assessoria a agricultura familiar, famílias agricultoras interessadas em trabalhar o processo de produção do algodão agroecológico na diversidade da agricultura local, estiveram reunidas no Assentamento Jacu, município de de Sertânia, Sertão do Pajeú Pernambucano, dentro do primeiro encontro de formação na Unidade de Aprendizagem e Pesquisa Participativa.

Conforme o pesquisador da Embrapa Algodão, Marenilson Batista, o evento aconteceu no último dia 07, teve em pauta o sistema de produção de algodão em consórcios agroalimentares e aprofundou discussões sobre a produção dentro das inovadoras práticas e tecnologias, esclareceu sobre as novas conquistas de mercado na dinâmica do preço justo, debateu gênero identificando o importante papel da mulher e juventude nos processos de produção e discorreu sobre pesquisa e certificação participativa.

“Esse é um projeto de algodão em consórcio agroecológico no semiárido brasileiro, nós somos parte nos sete territórios, é um projeto articulado pela Diaconia com recursos financeiros do Instituto C&A e nós da Embrapa fomos convidados pra participar das Unidades de Aprendizado de Pesquisa Participativa, nós tivemos inicialmente visitando a propriedade do senhor Bartolomeu, no sítio Jacu, e que nos deu a oportunidade de ter várias representações chamadas curvas de produção, tinha cerca de 30 representantes da região e nós abordamos neste primeiro módulo em que nós fomos pra conhecer a realidade de cada um e ver em como nós poderíamos ajudar”, explica a pesquisadora da Embrapa Marleide Magalhães de Andrade Lima ao iniciar contato direto com nosso público ouvinte Programa Domingo Rural e Programa Esperança no Campo.

“Esse é um encontro de onde vamos tomar uma retomada do algodão agroecológico em consórcios aqui em Pernambuco, aqui no Sertão do Pajeú, num momento importantíssimo para a agricultura familiar com a retomada do algodão agroecológico onde a gente teve um momento importante com a Embrapa parceira da Diaconia e de fundamental a presença de nossos agricultores e onde a gente discutiu uma pauta importante sobre o plantio, a importância da certificação participativa com nossos agricultores”, explica o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Serra Talhada, Claudevan José dos Santos, em contato direto com nosso público ouvinte distribuído no semiárido brasileiro.

“O módulo na verdade faz parte de um projeto maior que é a produção do algodão em consórcio agroecológico que visa fortalecer os OPACOs que são os Organismos Participativos de Avaliação da Conformidade Orgânica que avaliam a produção dos agricultores pra poder certificar pra vender o algodão com selo do orgânico, entro desse projeto haverão seis módulos de formação e, dos agricultores que fazem parte do projeto, foi escolhido uma área onde serão realizados esses módulos que chamamos de módulos de aprendizagem e pesquisa”, explica o assessor técnico da Diaconia, Jucier Jorge de Lima Silva, detalhando importantes informações sobre o processo de cadastramento de famílias agricultores, as dinâmicas de articulação para aglutinação das entidades parceiras dentre outras informações esclarecedoras ao nosso público ouvinte. Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Faça um comentário

Todos os campos obrigatórios são marcados como (requerida). Seu Endereço de e-mail não será publicado

Voltar para o topo