Armazenagem de silagem é tema em destaque no Programa Domingo Rural desta semana

Técnicas adaptáveis à região com ênfase na convivência com a realidade semiárida foi mais um tema evidenciado no Programa Domingo Rural deste domingo(25 de abril) que contemplou a armazenagem de forragem com uso de culturas nativas da região associados a outras culturas introduzidas na região a exemplo da leucena, sorgo e gliricídea que passam a ser utilizadas com as culturas locais como forma de diversificar a qualidade nutricional da ração animal.

Como forma de estimular agricultores pecuaristas de toda a região, o Programa Domingo Rural conversou com o agricultor pecuarista, residente na comunidade Açude Velho de Soledade, Aldo Costa, e com o também agricultor pecuarista, Inácio Tota Marinho, residente na comunidade Lajedo do Timbaúba, em Soledade. Eles falaram sobre as estratégias utilizadas para o processo de guardar ração produzida possibilitada graças ao conjunto de ações implementadas na propriedade com o apoio das entidades de agricultores a exemplo das ações com barragens subterrâneas que possibilitam o plantio de culturas diversas para a composição da ração animal.

Aldo Costa diz que as ações no processo de armazenagem de ração têm facilitado a forma de fazer agricultura e pecuária com capacidade de alimentar o rebanho em toda a época do ano, gerando trabalho e renda após o período das invernadas e garante que tudo tem sido mais fácil após ações que foram desenvolvidas em parceria com as entidades da ASA Paraíba a exemplo de Barragem subterrânea para o plantio de culturas diversas ao longo do ano, prática de piquetes divisórios dos cercados, plantio de culturas como leucena, gliricídea dentre outras. “Eu vi essas prática na Bahia onde eu fui conhecer essas práticas de silos de superfície onde vi abrir silos com 10 anos e com qualidade, então disse: esse é o silo que a gente precisa em nosso Cariri porque é um silo que agüenta muito tempo e é de fácil manejo”, explica Aldo Costa aos ouvintes do Programa Domingo Rural da Rádio Serrana de Araruna, Rádio Cultura de São José do Egito e Rádio Independente de Serra Branca, explicando com detalhes como fazer o silo.

Inácio Tota Marinho, ao falar aos ouvintes das emissoras parcerias, fala sobre a importância e resultados do trabalho que ele vem fazendo em sua propriedade familiar e garante que todo o trabalho desenvolvido é feito a partir da escolha da boa semente da paixão desde aquela destinada ao alimento da família como a destinada ao alimento do rebanho. Tota, ao dialogar com os ouvintes falou sobre como fazer a composição da ração e a qualidade nutricional a partir da diversidade colocada na fabricação do alimento animal na propriedade rural familiar. “Eu fiz questão trazer pra mostrar um consorciamento que estou fazendo de ração para os animais pra eu puder ter o fortalecimento na época da seca, eu guardando essa ração estocada que é o mato de dentro das palmas, planta que o pessoal conhece muito por bamburrá que passado no triturador vai passar a valer como um farelo, ele sozinho pode até ser ruim para os animais, mas o que é que vou fazer? Pego o guandu, leucena, sabiá com a vagem com a folha com tudo moída, pego a maniçoba vou fazendo também a moagem separando cada um de cada parte e vou preparando. Aqui tenho feijão de porco onde a gente secar e transformar em farelo que ele é muito rico em propriedades”, explica Tota Marinho dentre outras informações.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top