Campina Grande sedia Encontro da juventude camponesa do Polo Sindical da Borborema

Jovens agricultoras e agricultores agroecológicos de municípios da Borborema vinculados ao Polo Sindical e das Entidades da Agricultura Familiar da Borborema participaram do primeiro encontro regional da juventude camponesa edição 2014, em encontro que aconteceu no Day Camp, comunidade Lucas, Campina Grande, durante os dias 23 e 24 de janeiro.

Promovido pelo Polo Sindical e assessorado pela ONG AS-PTA, o encontro contou com dezenas de jovens agricultores e agricultoras residentes em diversos municípios a exemplo de Queimadas, Remígio, Solânea e Massaranduba que fizeram ampla exposição das experiências com Fundos Rotativos Solidário que foi o forte das temáticas trabalhadas no encontro.

Severino Santos Terto é assessor da AS-PTA e ao conversar com nossa equipe falou sobre o sentido do evento e sobre as experiências exitosas com fundos rotativos trabalhados em diversos municípios. Na verdade esse evento de fundos rotativos para a juventude tem como objetivo maior de promover o desenvolvimento para a juventude do Polo da Borborema acerca de organização e gestão de fundos rotativos, então para isso esse evento está sendo construído, não apenas com essa juventude, mas também pautada e orientada na dinâmica do Polo da Borborema com a experiência também já das diversas agricultoras e agricultores com o fundo rotativo como por exemplo as mulheres da comissão de saúde a alimentação, então há toda uma construção desse entendimento através dos diversos momentos que estão sendo construídos nesse evento como por exemplo os trabalhos em grupos que foram de fundamental importância para que a juventude pudesse debater e entender melhor essa questão dos princípios e também dos valores dos fundos rotativos e solidários”, explica aquele assessor acrescentando que o objetivo é fortalecer e ampliar as experiências nos municípios que já contem com o trabalho e criar novas ações e experiências em outras comunidades e municípios.

“Acho que é um encontro que está valorizando a juventude camponesa, é um encontro que está acontecendo e resgatando a autoestima do jovem camponês e acho que esse encontro seja o primeiros de muitos que aconteçam no decorrer deste ano que venha a incentivar jovens que estão se sentido meio que abandonados, que não tenham esse estímulo de continuar em sua comunidade, em seu sítio trabalhando com seus pais”, explica o jovem agricultor e componente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Remígio, João Paulo Camilo.

“Pra mim é muito importante já que a gente é envolvido na área de agroecologia, com agricultores jovens nos fundos rotativos solidários onde a gente pretende ajudar aos agricultores e a juventude onde os jovens têm suas atividades escolares na parte da manhã ou tarde, mas durante o dia pode exercer as atividades onde venha desenvolver uma atividade remunerada pra ele e captar a independência individual e ajudando seus próprios pais”, explica a jovem agricultora, Jarcira de Oliveira Silva, residente no sítio Maracajá de Queimadas.

“Estamos fortes como sempre, agora viemos representando o sindicato vim eu e mais três pessoas que estamos formando a comissão da juventude lá no STR, aí essa questão do fundo rotativo solidário é mais que importante, principalmente pra gerar uma renda para aqueles jovens que não tenham essa condição financeira, que as vezes pensam até em sair e isso acaba até diminuindo o êxodo lá de Solânea”, comenta a jovem agricultora Edilma da Silva Alves, residente na comunidade Capivara III, município de Solânea ela que, durante amplo espaço de tempo, dialogou com nosso público ouvinte da Rádio Serrana de Araruna AM 590 kHz, Rádio Bonsucesso AM 1180 KHZ e Rádio Queimadas FM 87.9 MHZ.

Já a diretora do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Queimadas na direção de juventude do STR e Comissão de Juventude do Polo, Ana Paula Cândido, disse ter sido importante espaço de criação de estratégia de convivência com a realidade semiárida onde coloca a juventude camponesa como foco principal de dar continuidade ao processo produtivo da agricultura familiar com sustentabilidade. “Eu, sinceramente, fique surpresa quando a gente para para refletir junto a juventude, porque quando você começar ver experiências que os jovens vivem, quando chegam para contar pra gente é que a gente começa a perceber que eles não estão no sítio só por estar, eles estão lá porque estão fazendo acontecer, estão fazendo agricultora junto com os pais, sozinhos tendo sua própria autonomia e está fazendo com que a agricultura, com que os animais cresçam e fortaleçam-se cada vez mais. Então a perspectiva que eu tenho, que os jovens de Queimadas que estão aqui e que repassam para nós experiências muito boas e eles mesmos estão propondo pra nós, enquanto coordenadoras da juventude, ideias que a gente vai poder realmente fortalecer nas comunidades”, relata com ar comemorativo aquela jovem diretora.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top