CCA da UFPB Areia comemora 78 anos de serviços prestados na formação para a agropecuária

O CCA, Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal da Paraíba, Campus Areia, está completando 78 anos de fundação e ampla participação na formação de profissionais das ciências agrárias para o mundo agrário brasileiro e internacional.

Segundo o vice-diretor daquele centro educativo, Alexandre José Alves(foto), a inauguração da escola ocorreu em 15 de abril de 1936, por José de Sousa Maciel, presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba, ocupando, na época, de forma interina, o Governo do Estado.

Para a direção daquela casa a criação da Escola reveste-se de grande importância por ter sido o primeiro estabelecimento de Ensino Superior na área Civil da Paraíba, havendo antes apenas o funcionamento do Seminário Arquidiocesano, em 1894, com a instalação da Diocese da Paraíba.

Entrevistado no Programa Domingo Rural deste domingo(20/04), Alexandre informou que aquele casa, na atualidade oferece os cursos de agronomia, Zootecnia, veterinária, ciências biológicas nas modalidades licenciatura e bacharelado além da licenciatura e bacharelado em química o que faz daquela casa um grande espaço de educação pública gratuita e de qualidade. “Nós somos, na realidade, o primeiro curso de graduação no estado da Paraíba. Hoje, coincidentemente, 15 de abril, comemora-se o aniversário dessa fundação, na realidade esse campus começou ser construído em 1934 em 15 de abril de 1936 ele abriu as portas para o curso de agronomia, é uma satisfação muito grande nossa, responsabilidade na nossa sociedade em administrarmos essa universidade, sabendo que essa administração é compartilhada com todos, inclusive com alunos e com a sociedade também que nos cerca, esse é grande objetivo nosso, dividir essa responsabilidade de administração dessa universidade com toda a sociedade paraibana”, explica ao dialogar com nosso público ouvinte da Rádio Bonsucesso de Pombal, Rádio Serrana de Araruna e Rádio Queimadas FM.

Durante ampla entrevista, aquele vice-diretor falou detalhes daquela universidade tratar-se de invejável estrutura e amplo quadro de profissionais que estão espalhados pelos estado do Brasil e órgãos internacionais diversos e garante que a universidade está a cada dia se inovando, especialmente com as organizações da sociedade civil, organizações não governamentais e as entidades de pesquisas na Paraíba dentre outros estados do semiárido dentre outros e regiões brasileiros. “Nossa relação é estreita tanto com a Embrapa, Emepa, Emater então temos uma relação comum, nós somos um campus agrário, muitos desses profissionais que compõem esse quadro são oriundos da nossa instituição e temos sim uma relação muito firme com essas instituições, de colaboração e também de absorver conhecimentos e demandas geradas por essas instituições é que nós aqui dentro dessa universidade refletida nas atividades dos alunos é que a gente tem essa composição também. E do ponto de vista de pesquisas, sobretudo, a Embrapa e a Emepa enquanto empresa de pesquisas nós temos uma relação onde temos vários professores que têm projetos vinculados a essas duas instituições, nós temos alunos que fazem estágios, nós temos diversas ligações com essas instituições no sentido de que a gente possa fazer um crescimento técnico-científico e também fazer uma extensão para toda a nossa sociedade!, explica aquele educador ao dialogar com os ouvintes do Programa Domingo Rural.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top