Cidade de Sumé sedia reunião sobre problemas e soluções do Garantia Safra

A cidade de Sumé foi palco de uma reunião que objetivou discutir o Programa Garantia Safra do governo federal e que é destinado à agricultores familiares de todo o Brasil.

style=FONT-FAMILY: Roman?,?serif? New ?Times>O evento aconteceu no último dia 22 de fevereiro, tendo como local a Escola Agrotécnica de Sumé no Cariri paraibano, momento em que representações de agricultores dos municípios do Cariri estiveram presentes cobrando explicações do porque de tantos problemas apresentados nas diversas cidades paraibanas, assuntos evidenciados nos programas produzidos e apresentados pela equipe Stúdio Rural.

style=FONT-FAMILY: Roman?,?serif? New ?Times>A reunião contou com a presença do coordenador do Programa Garantia Safra, na Paraíba, Antônio Carlos de melo; do coordenador da Emater regional Serra Branca, Antônio Alberto Suplício e do consultor do Garantia Safra, MDA, Ministério do Desenvolvimento Agrário, José Alfredo Júnior responsáveis de forma direta pela qualidade do programa no Estado da Paraíba.

style=FONT-FAMILY: Roman?,?serif? New ?Times>Stúdio Rural acompanhou todas as atividades e discussões das representações das entidades e ao final entrevistou diversas lideranças sobre o ponto de equilíbrio encontrado naquele evento.

style=FONT-FAMILY: Roman?,?serif? New ?Times>Ao dialogar com a equipe do Programa Domingo Rural, o coordenador do Garantia Safra na Paraíba, Antônio Carlos, falou sobre a participação dele na reunião, evidenciando que os problemas registrados nos municípios se deram em razão da forma de utilização da DAP, Declaração de Adaptidão ao Pronaf, que deveria ser rigorosamente emitida no escritório da Emater em cada cidade e, em razão das deficiências dos escritórios nos municípios a documentação é feita por organizações não adaptadas para o serviço, causando problemas quando passado para o sistema do computador dentre outros. “Depois ainda houve mais problemas, essas DAPs do Garantia Safra ficam junto do banco de dados de outras DAPs que são emitidas para crédito, e em alguns municípios os técnicos cometeram o erro de mandar o banco de dados como um todo, ou seja, quem se inscreveu no Garantia Safra e quem também não se inscreveu, por essa razão em alguns municípios apareceu gente que tinha DAP para crédito e foi classificado como se tivesse na DAP para o garantia Safra e com isso apareceu gente que já tinha morrido, gente que tinha DAP a três, quatro anos atrás e como a DAP tem validade de cinco anos e estava lá no banco de dados do Ministério o sistema encampou”, esclareceu Antônio Carlos, justificando que estará sempre a disposição das entidades para capacitar e ou esclarecer quaisquer dúvidas.

style=FONT-FAMILY: Roman?,?serif? New ?Times>Para o consultor do Programa Garantia Safra, José Alfredo Júnior, a reunião teve um papel de importância fundamental para mostrar que os problemas estão relacionados a forma como se desenvolve no município pela comissão ou órgão responsáveis, acrescentando que se a documentação sair certa da base municipal terá resultado positivo no final. “Esse foi um momento ímpar da gente poder mostrar para os municípios quais são as informações que estão residindo em cada ente federativo, municípios, estado e governo federal e de nossa parte foi possível trazer para os representantes dos municípios, todas as informações que constam na base de dados da SAF, Secretaria da Agricultura Familiar, ou seja, o número de DAPs recebidas, o número de agricultores desclassificados por inconsistência com os critérios e foi possível também a gente dialogar no sentido de poder buscar correções ou buscar orientações na forma de conseguir corrigir esses erros que existem no XDAP, no sistema como um todo e as inconsistências de informação presente entre município, as regionais da Emater e a coordenação estadual”, explica Alfredo Júnior.

style=FONT-FAMILY: Roman?,?serif? New ?Times>Domingo Rural entrevistou o secretário da agricultura da cidade de Cabaceiras, Carlos José; o técnico da Emater da cidade de Pariri, Genillson Bezerra de Brito; e o secretário de agricultura da cidade de Sumé que disseram acreditar que a reunião foi um espaço de importância para se observar os pontes deficientes para que se possa trabalhar as correções e prestar um serviço adequado aos agricultores familiares de todas as cidades da Paraíba.

style=FONT-FAMILY: Roman?,?serif? New ?Times>Fonte : Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top