Componentes dos Fóruns paraibanos e do MDA discutem feira da agricultura familiar

Técnicos dos Fóruns Territoriais de Desenvolvimento do estado da Paraíba estão reunidos durante esta quarta-feira(13) no mini-auditório da Embrapa Algodão Campina Grande para discutir assuntos relacionados ao mercado e á produção da agricultura familiar dos territórios rurais paraibanos.

Estão participando técnicos extensionistas das organizações e consultores do MDA no Estado e, Stúdio Rural compareceu ao local e conversou com o consultor do MDA, Flávio Luna e com o técnico da Coopagel, cooperativa que trabalha o processo de capacitação das famílias de agricultores em microrregiões paraibanas, Roberto Barros.

Um dos entrevistados, articulador do MDA no estado, Flávio Luna, disse que o objetivo é nivelar com os técnicos que trabalham de forma direta com as famílias de agricultores familiares para planejar como será a atuação das bases na questão da comercialização dos produtos da agricultura familiar e que será formado um grupo em cada microrregião que estará envolvida no processo de organização dos agricultores para praticar outra forma de comercialização de seus produtos de forma compartilhada em todas as microrregiões do Estado. “Um dos projetos territoriais é o de uma central de comercialização que está previsto o início da construção com a prefeitura de João Pessoa, uma central onde o espaço de comercialização é do agricultor familiar, o agricultor familiar vai ter um grande centro consumidor que é em João um local que é diferente da Ceasa que infelizmente serve a produtos que não é da agricultura familiar e vai ter um espaço digno, consistente, espaço adequado a comercialização dos seus produtos assim como existe outros espaços no estado”, argumenta, citando como exemplo o Estado de Pernambuco em que já existe uma central desse gênero.

Ele justificou que todas as microrregiões do estado da Paraíba estarão integradas com seus produtos e que no Sertão já existe na Empasa um espaço destinado aos produtos da agricultura familiar. “Se garantiu junto ao governo do Estado um espaço para lá na Empasa para a comercialização e, em tendo esse espaço lá, nós poderemos vender, por exemplo, o inhame que é produzido no litoral, lá em Patos, e poder vender também o que é produzido na região do Médio Sertão a exemplo do umbu, na central em João Pessoa”, exemplifica a liderança.

Luna informou que o quadro na Paraíba é bastante animador já que o número de agricultores acompanhados pelas entidades de agricultores já é bastante expressivo e que reúne produtos diversos trabalhados sem a presença de produtos venenos.

Para o técnico da Coopagel, Cooperativa de capacitação junto ás famílias de agricultores, Roberto Barros, as entidades de agricultores têm avançado significativamente nos territórios e que um passo outro a ser dado é trabalhar a questão de mercado já que é grande o número de famílias vivenciando as formas viáveis de produção sustentável em todo o Estado da Paraíba. “Inclusive a gente pode falar pelo Território do Cariri em que essa dinamização econômica do território venha a fortalecer os processos produtivos, os processos de comercialização e até a agricultura familiar de cada território inserido no processo”, justifica.

Roberto informou que as parcerias serão organizadas com cada executivo municipal, mas que as Empasas no Estado serão bem utilizadas para que os produtores, de forma organizada, possam vender seus produtos diretamente ao consumidor.

Fonte : Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top