Comunidade Remidos tem decreto de reconhecimento e comemora 20 anos

A cidade de Campina Grande foi sede de amplas festividades pelos vinte anos da ‘Comunidade Remidos no Senhor’, movimento religioso da base da igreja católica e também realizou festividades em comemoração pelos seus vinte anos de existência. Na oportunidade, também recebeu o decreto de reconhecimento por parte da Diocese de Campina Grande já que a comunidade tem sede nesta cidade além da consagração de três membros que são Alessandra Freitas Dantas de Sousa, Ronaldo José de Sousa e Kalina Lígia de Medeiros.

Criada na cidade de Pombal, Sertão paraibano, a comunidade teve sua transferência para a cidade de Campina Grande, Rua Vila Nova da Rainha e, segundo a moderadora e fundadora da comunidade, Alessandra Freitas Dantas de Sousa, trata-se de uma instituição religiosa constituída de leigos que vivem para a evangelização com missões neste e em outros estados brasileiros e preparação para missões também no exterior. “É uma grande alegria, nosso coração é tomado por uma grande gratidão á Deus, é um momento assim de constatar que a fidelidade de Deus continua marcando e movendo nossa vida, é sem sombras de dúvidas uma grande emoção e uma grande alegria”, explica Freitas Dantas que é também componente da Rádio Bonsucesso de Pombal AM 1180 kHz.

O evento aconteceu na tarde e noite deste domingo(23/01) no Clube Campestre e foi evidenciado no Programa Universo Rural da 1.180 kHz desta segunda-feira(24/01) momento em que foram entrevistados importantes lideranças participantes do evento a exemplo do bispo de Campina Grande, Dom Jaime Vieira Rocha; bispo da Diocese de Cajaceiras, Dom José Gonzalez Alonso e o bispo de Natal-RN, Dom Matias Patrício de Macedo.

O bispo de Campina Grande, Dom Jaime Vieira Rocha, disse que esse é um momento forte da igreja que a partir do concílio do Vaticano II vem abrindo as portas para proporcionar renovações em diversas partes e aqui na regional Nordeste II tem-se percebido importantes novidades e manifestações com o surgimento de novas comunidades, entre elas a Comunidade remidos no Senhor que teve seu início no município de Pombal e agora com sede na diocese de Campina Grande onde recebeu o reconhecimento eclesiástico como comunidade cristã de fiéis de direito diocesano. “É muito importante ver essas forças novas que vão surgindo, como eu dizia na homilia e depois na palavra final como é importante a igreja valorizar, se enriquecer com esses carismas e assas manifestações novas do Espírito Santo que vai acontecendo em sua vida e assim nós podermos ajudar mais carisma e instituição, igreja institucional e carismática, igreja do Espírito Santo e tudo convergindo para o anúncio do reino de Deus”.

Dom José Gonzalez Alonso é bispo de Cajazeiras e, ao participar do Programa Universo Rural dessa segunda-feira(24), disse que na igreja tem muitos carismas e muitos tipos de consagração e modos de viver o evangelho e na atualidade a igreja vem assistindo ao fenômeno de construção de novas comunidades enquanto grupos de leigos que querem viver a palavra de Deus e os conselhos evangélicos de forma consagrada sem perder sua característica de leigos no cotidiano de suas vidas. “Então quando a igreja reconhece um grupo destes, naturalmente faz um decreto dizendo que aprova os estatutos e que reconhece o estilo de vida que está levando e que, portanto fica integrados na comunhão eclesial e estamos vivendo esse acontecimento. Nos alegramos porque essa comunidade nasceu na nossa diocese de cajazeiras de forma concreta em Pombal e foi crescendo onde já está espalhada por outras dioceses e aqui em Campina Grande. E como eu dizia nesse momento em que falávamos, nos congratulamos também com eles, porque é um reconhecimento de que eles estão querendo style=mso-spacerun: yes>  testemunhar e viver a palavra de Deus e rezamos para que procurem fiéis a palavra que receberam e os compromissos que estão fazendo e que sejam um exemplo para todo o povo de Deus”. 

O bispo de Natal-RN, Dom Matias Patrício de Macedo, disse ter sido uma importante passagem dele aqui por Campina Grande, já que trata-se de um grupo que se originou quando ele era bispo da diocese de Cajazeiras e diz acreditar ser um grupo que vem contribuir com o fortalecimento da igreja. “Sem dúvida nenhuma, são grupos novos que estão surgindo dentro da igreja por necessidade mesmo, mas podemos dizer que ao mesmo tempo isso é o espírito de Deus fazendo aflorar nas pessoas a necessidade de se preocupar com a evangelização e anunciar Jesus Cristo aos outros para que as pessoas se encontrem com ele”.

Kalina Lígia de Medeiros foi uma das componentes consagradas no evento e disse ter sido momento de muita alegria já que depois de vinte anos lhe foi possível subir ao altar do senhor para consagrar sua vida dizendo acreditar que vale a pena ser Remida. “Ser Remida é ser amada, nós somos remidos por Jesus na cruz, ser remidos é sentir-se profundamente amado por Deus, sentir esse amor de tal forma que eu também quero me doar ao mundo, levando a palavra de Deus, sendo luz, sendo sal para este mundo, então ser remido é ser amado e o objetivo da Comunidade é o que faz parte de nosso carisma; é amar á Deus acima de todas as coisas, com todas as nossas forças, é consolar o senhor por tanta ingratidão dos homens no mundo de hoje”.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Universo Rural

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top