Consultores do MDS visitam famílias contempladas com ações estruturadoras do Projeto Uma Terra e Duas Águas

Técnicos consultores do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate a Fome visitaram unidades agrícolas de agricultores e agricultoras familiares do Estado da Paraíba contempladas com as ações do P1+2, Projeto Uma Terra e Duas Águas, ações destinadas ao fortalecimento da agricultura familiar dentro da dinâmica de mobilização para a convivência com a região semiárida brasileira.

Ao conversar com a equipe do Programa Domingo Rural, o consultor daquele Ministério, Oscar Arruda Dalva, explicou a razão da visita e garante que o trabalho de construção está dentro da dinâmica do projeto de execução das obras o que fará com que as famílias tenham melhor aproveitamento das chuvas registradas durante esse período invernoso. “O objetivo está sendo o acompanhamento do programa, visitar em loco as experiências e vamos ter também uma reunião com as unidades gestoras do programa, fazendo uma discussão aí sobre como é que está o processo de capacitação dos agricultores, os intercâmbios de experiências, as sistematizações, enfim é uma atividade rotineira do gestor do programa acompanhando como é que está o andamento das ações”, explica Oscar, que dialogou com as famílias agricultoras enquanto público alvo beneficiária no programa. “Isso aí é sempre muito motivador, a gente visitar as experiências e ver diretamente com os beneficiários, com os agricultores que são os atores desse processo, está sendo muito bacana, sempre é muito animador, a gente ver que as experiências da segunda água do P1+2 realmente estão trazendo resultados aí, armazenando um volume maior de água, permitindo essas famílias estar fazendo uma pequena produção nos seus quintais, a gente percebe que tem o uso dessa produção para a alimentação em casa, gera um excedente, embora o programa ainda esteja numa fase experimental”, comenta.

Maria Anunciada Flor Barbosa Morais é presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Queimadas, conversou com a equipe Domingo Rural e comentou que o Ministério tem importante papel na liberação de recursos para a construção das cisternas e as ações estruturantes integradas e que vêm melhorando a qualidade de vida de famílias diversas em diversas microrregiões do estado e garante que com o apoio do Ministério em parceria com a Unidade Gestora AS-PTA a realidade cultural tem mudado já que as famílias tem sempre criado oportunidades novas no modelo de produção a exemplo do modelo agroecológico e a conquista do mercado direto ao consumidor agroecológico. “Quando a gente começou a trabalhar o programa no município começamos logo com os processos de formação das famílias, onde todas passam por uma capacitação sobre a gestão da água para a produção de alimentos, nós fazemos todo um estudo das formas de capacitação de água dentro da propriedade, todos os agricultores que foram contemplados com o programa fizeram um mapeamento das infra-estruturas hídricas com o estudo do caminho das águas dentro da propriedade e tudo isso é muito importante para o processo de formação para esses agricultores que hoje estão produzindo e que a gente já percebe uma diferença na qualidade de vida dessas famílias e elas já mostram que têm um manejo de solo diferente, um manejo das hortaliças diferente quando atualmente elas não usam mais venenos, já se percebe que elas têm um alimento diferente daqueles que elas compravam fora porque é um alimento de qualidade, elas sabem que tipo de água estão consumindo e que tipo de hortaliça também está consumindo e também não só para o consumo em casa, mas o excedente também que tem sido vendido na comunidade”, relata Anunciada, garantido que a cidade de Queimadas terá uma feira agroecológica para o processo de venda e convivência direta com os consumidores do setor urbano daquele município.

Uma das propriedades visitada foi a da agricultora familiar, Maria José Martins de Oliveira Albuquerque, Lisete, residente na comunidade Sítio Catolé, município de Queimadas, que ao receber a representação do MDS, do Pólo Sindical e da AS-PTA, falou com a equipe do Programa Domingo Rural comentando o que representa para ela a implementação integrada na propriedade e da alegria de receber a representação do Governo Federal para conferir de perto o modelo que está sendo desenvolvido naquela pequena propriedade rural e garante que as ações desenvolvidas mudaram a qualidade alimentar e cultural das famílias que passam a utilizar hortaliças nunca antes utilizadas na dieta alimentar. “Antes eu não tinha nada, antes era tudo comprado e hoje em dia eu tenho, não precisa mais eu comprar pra casa para o consumo de casa e também já dá pra eu vender para os visinhos também”, explica aquela agricultora com alegria, dizendo que estará em breve fazendo parte da feira agroecológica a ser desenvolvida no centro daquela cidade.

Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top