Dirigente da Asplan avalia criação de grupo interministerial sobre alto custo dos fertilizantes

O presidente da Asplan, Raimundo Nonato Siqueira(foto), ficou otimista com uma notícia recente de que o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Reinhold Stephanes, acatou a sugestão da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) de montar um grupo interministerial destinado a propor soluções para a crise que o setor enfrenta.

Segundo a assessoria da entidade, News Comunicação, Nonato é da opinião de que essa proposta de se criar um grupo de trabalho para debater e buscar reais soluções para mais essa problemática enfrentada pelo fornecedor de cana, faz ver uma luz no fim do túnel, visto que, segundo ele, o setor teve uma das piores remunerações da história pela matéria-prima na safra 2007/2008, chegando a receber pela tonelada do produto R$ 29,00 em outubro do ano passado, ao mesmo tempo em que os preços dos insumos tiveram um aumento bastante considerável.

News informou que para fortalecer o debate desse grupo interministerial em torno dos altos preços dos fertilizantes, também será solicitado pelo ministro Reinhold Stephanes a participação de integrantes do Ministério de Minas e Energia. “O ministro alegou que é pouco o conhecimento de sua pasta sobre as jazidas minerais, de onde saem os principais elementos que compõem os fertilizantes, e por isso, precisa desse apoio. Além disso, ele também admitiu que a prospecção de novas jazidas é insuficiente e de que faltam recursos para investimentos”, relata News.

Ao contatar com Stúdio Rural News informou que a CNA apontou ao Ministro da Agricultura que o principal problema vivido pelo agronegócio da região, são os altos preços dos fertilizantes, que praticamente dobraram nos últimos 12 meses.

Fonte : Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Compartilhe se gostou

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top