Encontro universitário de agroecologia é destaque no Domingo Rural e Esperança no Campo

O XV Encontro Regional de Agroecologia(ERA) que aconteceu de 30 de abril a 03 de maio, na Universidade Federal da Paraíba, Campos Bananeiras, foi tema em evidência no Programa Esperança no Campo e Programa Domingo Rural da Rádio Queimadas FM e Rádio Serrana de Araruna fechando a semana passada e gerando informações claras, firmes e objetivas para o público ouvinte espalhado por toda a região semiárida brasileira.

O encontro contou com participação de centenas de estudantes, professores palestrantes da Paraíba e outros estados, diretores de Centros Acadêmicos de diversas universidades, componentes de governos diversos, lideranças de movimentos campesinos, deputado estadual Frei Anastácio representando a Assembleia Legislativa do Estado da Paraíba, agricultores experimentadores em agroecologia, num evento pensando e trabalhando todo o processo de construção da agroecologia enquanto espaço de vida e produção sustentável.
 “Pra gente é muito importante estar organizando esse Encontro Regional de Agroecologia aqui em Bananeiras e temos uma avaliação muito positiva, eu acho que a presença da professora Irene que foi palestrante na abertura traz um incremento muito forte, ela como presidente da Associação Brasileira de Agroecologia traz esse incremento forte para o debate que a gente está propondo que é o debate da transformação do espaço universitário, o debate do que a gente quer dentro da universidade dialogando junto a comunidade e assim transformar a sociedade”, explica o estudante da Universidade Federal da Paraíba, Campus Areia e componente da comissão organizadora do evento, Felipe Sales, durante amplo diálogo com nosso público ouvinte.
“Foi um encontro maravilhoso porque primeiro esse território da Borborema é referência na agroecologia nacional, então a construção da agroecologia aqui com as organizações dos trabalhadores, com os sindicatos com a história das sementes da paixão, da construção horizontal do conhecimento onde o mundo já sabe e tem notícia disso e pisar na terra desse território que constrói agroecologia de forma tão bonita é maravilhoso e uma grande oportunidade que eu tive de voltar à Bananeiras em que já conhecia e já tinha vindo aqui há 28 anos atrás e ver quinhentos jovens de vários estados da região Nordeste num variado evento com final de semana prolongado discutindo agroecologia refaz nossas energias e é uma alegria muito grande e uma esperança de que a gente vai buscar uma agricultura de uma forma diferente nesse país”, argumenta a presidente da ABA, Associação Brasileira de Agroecologia e professora da Universidade Federal de Viçosa(UFV), Irene Maria Cardoso que participou das atividades e foi palestrante no evento. 
“Já estamos na décima quinta edição neste ano de 2015, o ERA é um encontro que surge pela FEAB que é Federação dos Estudantes de Agronomia do Brasil e surge pra debater pós os EBAS que é Encontro Brasileiro da Agricultura Alternativa que acaba protagonizando na década de 1980, depois quando se rompeu não tivemos mais os EBAS e começou a se trabalhar os encontros de agroecologia em regionais, então por isso que tem o do Nordeste, tem o do Norte, do Sul, Sudeste, Centro Oeste e então se trabalha dessa forma sendo um encontro que tem como objetivo central esse multiciplinaridade e essa troca de culturas com estudantes de agronomia, estudantes de zootécnica, de biologia, de todas as áreas das rurais, mas não só dessas, ao contrário, tem gente da filosofia, tem gente das humanas, pessoal da geografia, da física, matemática então é isso que é legal de ver, conseguir uma ciência que é a agroecologia ter toda essas pessoas voltadas para um órgão estratégico que é conseguir realmente transformar a agroecologia num sistema de produção enquanto ciência hegemônica no Brasil e no mundo”, explica ao dialogar com nosso público ouvinte, o presidente da FEAB, Federação dos Estudantes de Agronomia do Brasil, Artur Fernando Poffo Costa. 
“Acho que é mais um momento importante pela agroecologia no Brasil, acho que é importante esse debate, essa relação com os estudantes, afinal a gente precisa de profissionais que possam entender o sentido da agroecologia como desenvolvimento, então acho que ter esse momento de interação, de visitas onde o Polo como exemplo vai estar aqui contribuindo com experiências, depoimentos de agricultores e acho que isso é o que nos faz ter esperança de que a gente possa crescer muito”, relata a componente do Polo Sindical da Borborema, palestrante e participante no evento, Roselita Vitor de Albuquerque ao falar ao nosso público ouvinte Domingo Rural e Esperança no Campo. 
“É importante esse encontro que acontece aqui na universidade reunindo estudantes de agroecologia de todo Nordeste e importante é essa interação também com os agricultores experientes já que eles estão conhecendo experiências aqui do Território, conhecendo como é que a agroecologia vem sendo construída na prática pelos agricultores e pelas comunidades, então é importante porque na universidade a gente lê e estuda sobre a agroecologia, mas essa interação de perceber como é que ela está sendo construída é importante”, explica o também palestrante no evento, componente da ASA Paraíba e entrevistado de nossos programas radiofônicos, Marcelo Galassi de Freitas Paranhas.
“Aqui a gente faz o diálogo, aqui a gente dialoga, mas dialoga com seriedade buscando compreender a lógica científica que existe na experiência do agricultor, ele que não escolhe um solo por acaso, uma planta por acaso ou uma cabra, uma ovelha, uma vaca, um boi por acaso, ele busca critérios técnicos na hora de plantar, observa quando o solo está molhado e então a universidade tem esse papel de estar contribuindo com essa sistematização aprofundando metodologicamente a construção desse conhecimento para que consiga avançar cada vez mais uma ciência que seja comprometida com a melhoria e com a qualidade de vida das pessoas”, explica detalhadamente o professor da Universidade Federal da Paraíba, Campus Bananeiras, Alexandre Eduardo de Araújo, detalhando informações através da Rádio Queimadas FM e Rádio Serrana de Araruna reafirmando o papel e importância da universidade continuar no diálogo e fortalecimento do diálogo entre academia e sociedade, fazendo com que a academia não fique presa nos muros e, assim, possa se soltar e ser espaço de integração na sociedade. 
Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados como (obrigatório) devem ser preenchidos.

Newsletter

Através da nossa newsletter você ficar informado, o informativo do estudo rural já conta com mais de 20 mil inscritos, faça parte você também.

Back to Top